Geral

Anderson cumpre favoritismo, brinca com Bonnar e completa show com nocaute

Considerado o melhor lutador da história do MMA, Anderson Silva deu mais uma mostra de seu poder. Na madrugada deste domingo, pelo UFC Rio 3, ele conquistou mais uma vitória, com direito a show, brincadeiras e um nocaute avassalador contra Stephan Bonnar. Campeão dos médios, Anderson lutou no meio-pesado, sem valer seu cinturão, mas não […]

Arquivo Publicado em 14/10/2012, às 10h25

None
1548142598.jpg

Considerado o melhor lutador da história do MMA, Anderson Silva deu mais uma mostra de seu poder. Na madrugada deste domingo, pelo UFC Rio 3, ele conquistou mais uma vitória, com direito a show, brincadeiras e um nocaute avassalador contra Stephan Bonnar. Campeão dos médios, Anderson lutou no meio-pesado, sem valer seu cinturão, mas não mostrou problemas para enfrentar um rival muito maior.


“Galera, mais uma vez obrigado por todos estarem aqui torcendo pelos brasileiros. Consciência e paz na hora de voltar para casa”, disse Anderson, no momento “responsabilidade”. “Eu não sou o melhor, mas sou capaz de fazer o que muito acham impossível. Team Nogueira!”


Durante o combate, Anderson abusou das gracinhas. Chamou Bonnar para a grade, tomou alguns golpes e mostrou seu poder de esquiva. Mas foi com uma joelhada certeira no plexo que ele deixou Bonnar estatelado no chão, obrigando o árbitro a encerrar o combate, em seu quarto nocaute consecutivo no Ultimate.


A noite foi de festa brasileira em grande parte, com a maioria dos lutadores da casa vencendo os lutadores gringos. Foi o caso do grande amigo do Spider Rodrigo Minotauro – de quem ganhou um abraço a caminho do octógono -, de Rony Jason e de Demian Maia. Luiz Cane e Erick Silva acabaram levando a pior.


Bonnar começou a luta tentando fugir da técnica apurada de Anderson em pé e já tentando colocar o brasileiro para baixo. O campeão dos médios resistiu e ate chamou Bonnar para a grade, recebendo alguns golpes mas mostrando seu ótimo poder de esquiva para iniciar seu show. Anderson repetiu os chamados, ficando parado à frente da grade e só se esquivando.


A definição veio ainda no primeiro round: Anderson conseguiu derrubar Bonnar, que foi para o chão e se levantou rapidamente. O brasileiro aproveitou o momento de descuido para acertar uma joelhada violenta no plexo do norte-americano. E aí bastou finalizar com socos e marretadas, com Bonnar já sem ação.


Anderson Silva entrou no UFC Rio 3 de última hora. Com as lesões de Rampage e principalmente a do campeão José Aldo, principal estrela do card, o campeão dos médios foi chamado a salvar a noitada na capital fluminense, retornando após ter participado e nocauteado na primeira edição carioca, em agosto de 2011.


O brasileiro planejava voltar a lutar apenas em 2013, depois de nocautear na revanche contra Chael Sonnen, mas afirmou que tinha uma dívida com a torcida, por conta de o combate com o norte-americano ter sido programado para ocorrer no Rio, mas acabou sendo transferido para Las Vegas.


Devido à falta de tempo, Anderson foi colocado para lutar entre os meio-pesados, contra um rival teoricamente fraco, Stephan Bonnar, vice-campeão do The Ultimate Fighter 1 – uma luta histórica, por ter sido uma guerra vencida por Forrest Griffin.


O Spider entrou no octógono do UFC Rio defendendo números impressionantes, mesmo sem colocar o cinturão dos médios em jogo. Em seu terceiro combate como meio-pesado, ele colocou em jogo suas 15 vitórias no Ultimate, a maior série invicta dentro da organização, e o objetivo de encerrar a carreira sem conhecer uma derrota dentro do evento. No total da carreira, antes dessa luta, ele somava 32 vitórias e quatro derrotas.


Bonnar, por sua vez, vinha de três derrotas, mas a falta de grandes desafios o fez se considerar aposentado. Mesmo com a mulher grávida de 40 semanas nos Estados Unidos, ele aceitou o desafio, por considerar uma última chance de escrever um grande capítulo em sua carreira.


Jornal Midiamax