Geral

Agricultores do Cerrado desembarcam nos EUA para conhecer evoluções na soja

Os 34 agricultores que venceram o programa “Maior Produtividade e Melhores Práticas Intacta RR2 PRO™” começaram uma semana intensa de trabalhos nos Estados Unidos. Na manhã desta segunda-feira (28/8), primeiro dia do grupo nos EUA, eles participaram de reuniões em St. Louis, no Missouri, com Robb Fraley, vice-presidente executivo de Tecnologia e cientista-chefe da Monsanto […]

Arquivo Publicado em 28/08/2012, às 20h07

None

Os 34 agricultores que venceram o programa “Maior Produtividade e Melhores Práticas Intacta RR2 PRO™” começaram uma semana intensa de trabalhos nos Estados Unidos. Na manhã desta segunda-feira (28/8), primeiro dia do grupo nos EUA, eles participaram de reuniões em St. Louis, no Missouri, com Robb Fraley, vice-presidente executivo de Tecnologia e cientista-chefe da Monsanto Company, e Jesus Madrazo, vice-presidente de Negócios da área Internacional da empresa.Além de conhecerem as estratégias e inovações que a Monsanto busca para o mercado brasileiro de soja, os agricultores também souberam do que vem pela frente para as outras culturas e sobre a importância de Intacta RR2 PRO™ para que o Brasil reforce sua posição de destaque do cenário agrícola mundial.

“Para nós é um diferencial enorme estar com a liderança mundial da Monsanto e ouvir deles as novidades do nosso mercado. Essa é uma oportunidade única”, disse Silvio Wegener, da Fazenda São Tomaz, de Rio Verde (GO). À tarde, o grupo visitou o Monsanto Village Biotechnology, em Chesterfield, e conheceu os laboratórios e casas de vegetação que simulam condições de plantio, temperatura, clima, umidade e iluminação do mundo todo. É nesta unidade que a Monsanto realiza a pesquisa de produtos oriundos da biotecnologia, escolhe uma nova característica genética e identifica as melhores variedades adaptadas para cada país e região. A visita surpreendeu o sojicultor Rafael Kummel, da Fazenda Dr. Paulo, de Nova Mutum (MT).

“Fiquei impressionado com a quantidade e com o cuidado com a pesquisa para resistência de pragas. Não imaginava que havia tanta tecnologia por trás do processo de desenvolvimento”, comentou. Os produtores também estiveram na sede da Monsanto em Crever-Couer para ver de perto o trabalho do time de melhoramento genético e os equipamentos e soluções criados pela equipe de engenharia da Monsanto para acelerar o trabalho de breeding, como o uso de ressonância magnética e do seed chipper, máquina que retira pequenas lascas de cada uma das sementes, preservando a capacidade de germinação do grão. Com isso, conseguem antecipar em dois ou três anos o lançamento de uma variedade. “Estou muito animado em saber que teremos novidades para várias safras futuras.

A biotecnologia é necessária para o campo. Se não tivermos, não conseguiremos mais produzir e ajudar a alimentar o mundo”, contou Nédio Anzilago, da Fazenda Bagagem, de Aral Moreira (MS). O roteiro da viagem ainda inclui visitas a centros de pesquisas e de desenvolvimento de sementes, fazendas e cooperativas em diversas cidades do meio-oeste dos EUA. “Soubemos, na prática, como é feito o desenvolvimento de variedades e tecnologias. Isso para nós é fundamental. Não temos outra opção a não ser aumentar a produção e toda essa tecnologia nos anima demais”, completou Anzilago. Os campeões do concurso também visitarão a Bolsa de Chicago, onde são negociadas as commodities agrícolas e estarão na Farm Progress Show, a maior feira do país, em Boone, no estado de Iowa. Conheça a Intacta RR2 PRO™ e o concurso “Maior Produtividade e Melhores Práticas”.

Os produtores que estão nos EUA fazem parte do programa “Os Eleitos”, lançado na última safra pela Monsanto para selecionarem, juntos, as variedades que serão lançadas com a nova tecnologia Intacta RR2 PRO™. No projeto, 500 agricultores de 275 municípios espalhados por 10 estados (Rio Grande do Sul, Paraná, Santa Catarina, São Paulo, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Rondônia, Goiás e Bahia) e no Distrito Federal plantaram a soja Intacta RR2 PRO™ lado a lado com campos com a tecnologia Roundup Ready em suas propriedades. Destes 500 sojicultores, 34 se destacaram por terem observado todos os protocolos de gestão responsável da tecnologia, plantio de refúgio e orientações do Sistema Roundup Ready Plus, além de conseguirem os melhores resultados de produtividade nas áreas plantadas.Graças à parceria e à participação desses agricultores pioneiros foram comprovados, mais uma vez, os três benefícios proporcionados pela nova tecnologia: resultados de produtividade sem precedentes, devido a tecnologias avançadas de mapeamento genético, seleção e inserção de genes em regiões do DNA com potencial impacto positivo na produtividade; proteção contra as principais lagartas que atacam a cultura da soja; e tolerância ao glifosato proporcionada pela tecnologia Roundup Ready.

Testes de campo e ensaios de laboratório realizados pelos especialistas da Monsanto evidenciaram que, além de eficaz contra as três principais lagartas que atacam a cultura da soja – a lagarta da soja (Anticarsia gemmatalis), as lagartas falsas medideiras (Pseudoplusia includens e Rachiplusia nu) e a broca das axilas, também conhecida como broca dos ponteiros (Crocidosema aporema) – a proteína Bt (Cry1Ac) presente na soja INTACTA RR2 PRO™ também permite o controle da lagarta das maçãs (Heliothis virescens), praga primária na cultura do algodão e que, na última safra, causou danos entre os sojicultores daquelas regiões onde o plantio de algodão é mais expressivo (MT, MS, GO e BA).

Os resultados obtidos nos testes de campo com os 500 agricultores indicaram que a soja INTACTA RR2 PRO™ proporcionou benefícios em média de R$ 346,91 por hectare aos sojicultores no Brasil. A média é uma somatória da economia proporcionada pela redução do uso de inseticidas nas lavouras (R$ 70,13/ha) e os ganhos de produtividade proporcionados pelas 6,59 sacas/hectare (R$ 276,78) colhidas a mais em relação às variedades referenciais na região.

Jornal Midiamax