Geral

Trabalhadores de frigorífico de MS entram em greve nesta segunda

Os mais de 800 empregados do Frigorífico Minerva, em Batayporã,entraram em greve a partir de meia noite deste domingo (13) para reivindicar melhores condições de trabalho e salário. Com a paralisação, mais de 800 cabeças de gado que seriam abatidos desde a madrugada desta segunda-feira (14) ficarão no pátio da empresa. A informação é de […]

Arquivo Publicado em 13/03/2011, às 16h44

None

Os mais de 800 empregados do Frigorífico Minerva, em Batayporã,entraram em greve a partir de meia noite deste domingo (13) para reivindicar melhores condições de trabalho e salário. Com a paralisação, mais de 800 cabeças de gado que seriam abatidos desde a madrugada desta segunda-feira (14) ficarão no pátio da empresa.

A informação é de Vilson Gimenes Gregório, presidente da Federação dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação e Afins de Mato Grosso do Sul – FTIAA/MS.

“A empresa quer dar apenas o acumulado da inflação dos últimos 12 meses. Os trabalhadores não aceitam, querem ganho real para quem ganha acima do piso”, explica César de Jesus Shimitt, presidente do Sindicato dos Trabalhadores na Indústria de Alimentação de Nova Andradina, responsável por aquela região vizinha.

Os empregados pedem também aumento do piso salarial que passaria dos atuais R$ 545 para R$ 643, a partir de 1º de março, data base da categoria. A greve, segundo Vilson e César de Jesus, é por tempo indeterminado.

“A empresa precisa se conscientizar de que deve repassar para o trabalhador parte do grande lucro que obtêm ao longo dos anos. Não podemos e não iremos mais ficar de braços cruzados e esperar que eles se conscientizem disso sem uma pressão e perdas financeiras como essa greve proporcionará”, argumentou César de Jesus.

O sindicato e a federação (FTIAA/MS) não têm dúvida de que a adesão dos mais de 800 empregados do frigorífico Minersa será total e absoluta. “Sem garantia de aumento salarial acima da inflação, os empregados não voltam a trabalhar”, advertiu Gimenes que conta com o apoio da CUT – Central Única dos Trabalhadores nesse movimento a partir dessa madrugada.

Jornal Midiamax