Geral

Torcedores de Botafogo e Grêmio comemoram prisão do ex-juiz Beltrami

A prisão do ex-árbitro Djalma Beltrami, comandante do do 7º Batalhão de Polícia Militar do Rio de Janeiro (Alcântara), foi muito comemorada nas redes sociais, sobretudo por torcedores de times prejudicados. No Rio, quem comemorou foi a torcida do Botafogo. Em 2007, Beltrami anulou um gol legítimo do ex-alvinegro Dodô na decisão do Campeonato Carioca, […]

Arquivo Publicado em 20/12/2011, às 01h27

None

A prisão do ex-árbitro Djalma Beltrami, comandante do do 7º Batalhão de Polícia Militar do Rio de Janeiro (Alcântara), foi muito comemorada nas redes sociais, sobretudo por torcedores de times prejudicados. No Rio, quem comemorou foi a torcida do Botafogo. Em 2007, Beltrami anulou um gol legítimo do ex-alvinegro Dodô na decisão do Campeonato Carioca, contra o Flamengo. Ele também prejudicou os botafoguenses em 2006, beneficiando o Fluminense numa partida da Sul-Americana.


“Agora que o Djalma Beltrami foi preso, vão devolver o título de 2007 ao Botafogo?”, questiona um usuário. “Esse cara já deveria ter sido preso no Maracanã, em 2007, logo depois do jogo”, desabafou outro alvinegro.


A torcida do Grêmio também comemorou bastante a prisão de Djalma Beltrami. Em 2005, o árbitro ganhou o ódio dos gaúchos pela péssima atuação na “Batalha dos Aflitos”, decisão do título da Série B entre Grêmio e Náutico.  O juiz deu um pênalti inexistente para o Náutico logo minutos após ignorar um falta clara dentro da área a favor do Grêmio. Indignados com a atuação de Beltrami, os gremistas tentaram recalamar, mas o árbitro ainda expulsou dois deles.


“A regra é clara e justiça tarda, mas não falha: Beltrami preso!”. Outro torcedor brincou com a situação. “Não precisa falar nada. Djalma Beltrami preso já é uma piada pronta”.


Djalma Beltrami foi preso na manhã desta segunda-feira acusado de participar de um esquema que unia policiais militares de São Gonlçalo com o tráfico de drogas da região. Segundo as investigações, os PMs receberiam propina de traficantes para não reprimir o tráfico na região. As investigações apontam ainda que os policiais  receberiam R$ 160 mil de propina por mês. Mais de 100 policiais civis participam da operação.


Beltrami fez parte do quadro de árbitros da Ferj de 1989 a 2011. Ele se aposentou por idade em maio. Também era dos quadros da CBF (1995 a 2010) e da Fifa (2006 a 2008).


Jornal Midiamax