Geral

Thorpe se diz ‘tecnicamente melhor’ do que no passado

Embora tenha voltado às piscinas recentemente com resultados inexpressivos, depois de ter encerrado uma aposentadoria que durava desde 2006, o australiano Ian Thorpe afirmou nesta quarta-feira, em Seoul, na Coreia do Sul, que se considera um nadador “tecnicamente melhor” do que no passado, quando chegou a reinar nas piscinas com 13 recordes mundiais e cinco […]

Arquivo Publicado em 16/11/2011, às 14h10

None
Embora tenha voltado às piscinas recentemente com resultados inexpressivos, depois de ter encerrado uma aposentadoria que durava desde 2006, o australiano Ian Thorpe afirmou nesta quarta-feira, em Seoul, na Coreia do Sul, que se considera um nadador “tecnicamente melhor” do que no passado, quando chegou a reinar nas piscinas com 13 recordes mundiais e cinco medalhas de ouro olímpicas.
Com o objetivo de se classificar para os Jogos Olímpicos de 2012, em Londres, Thorpe voltou às competições neste ano, mas sem empolgar o público, que estava ansioso pelo seu retorno, nas etapas de Cingapura, Pequim e Tóquio da Copa do Mundo de Natação. Ele não ganhou nenhuma medalha nestes eventos e ficou fora de algumas finais.
Thorpe, porém, negou estar frustrado com os últimos resultados. “Eu não estou decepcionado com tudo”, disse o australiano, durante entrevista coletiva. “Eu esperava, quando eu competi pela primeira vez (após o retorno), que não seria tão rápido. Isso é muito natural para quem ficou tanto tempo fora da piscina. Eu gostaria de ter nadado muito mais rápido, mas, no momento, isso não é realista”, admitiu.
O nadador de 29 anos destacou que houve uma “evolução incrível” na natação enquanto ele esteve afastado do esporte. “Quando eu me comparo com a forma como eu costumava nadar em 2005 e 2007, tecnicamente hoje eu vejo que sou um nadador melhor”, opinou, lembrando que hoje não tem mais objetivo de estar no topo da natação mundial, status que chegou a ocupar antes do surgimento do fenômeno norte-americano Michael Phelps.
“Eu tenho de fazer muito mais treinos com essa técnica (atual). Eu não sou alguém que se concentra em tentar ser o número 1. Eu me concentro no que eu posso fazer e em ter certeza de que minha preparação foi a melhor possível”, acrescentou Thorpe, enfatizando em seguida que o mais importante foi “redescobrir o amor e a paixão” pelo esporte no qual ele se consagrou. 
Jornal Midiamax