Geral

Strauss-Kahn é transferido algemado de delegacia em Nova York

Algemado e escoltado por policiais, o diretor-gerente do FMI, Dominique Strauss-Kahn, foi transferido na noite deste domingo (15) da delegacia onde estava preso para outro departamento da polícia de Nova York, nos Estados Unidos. Strauss-Kahn é acusado de ter agredido sexualmente uma empregada de hotel no sábado (14). A polícia nova-iorquina não deu informações exatas […]

Arquivo Publicado em 16/05/2011, às 09h57

None

Algemado e escoltado por policiais, o diretor-gerente do FMI, Dominique Strauss-Kahn, foi transferido na noite deste domingo (15) da delegacia onde estava preso para outro departamento da polícia de Nova York, nos Estados Unidos. Strauss-Kahn é acusado de ter agredido sexualmente uma empregada de hotel no sábado (14).


A polícia nova-iorquina não deu informações exatas sobre o local para onde o diretor do FMI foi transferido.


De acordo com a agência de notícias Reuters, Strauss-Kahn pode ter sido levado para um posto médico para realizar um exame forense. A audiência preliminar para a apresentação formal de acusações contra o diretor-gerente do FMI, prevista para este domingo, foi adiada.


 Dominique Strauss-Kahn foi reconhecido neste domingo pela funcionária de um hotel que o acusa de tentativa de estupro em uma roda de suspeitos organizada pela polícia nova-iorquina.


Segundo um porta-voz da polícia, a mulher, de 32 anos, compareceu na delegacia onde Strauss-Kahn está detido e identificou o diretor-gerente do FMI entre um grupo de homens.


Strauss-Kahn é acusado de tentativa de estupro, ato sexual ilícito e detenção ilegal após ter sido detido no sábado a bordo de um avião que estava para decolar rumo a Paris.


Segundo declararam seus advogados, Ben Brafman e William Taylor, o alto funcionário internacional se declarará inocente das acusações quando comparecer perante um juiz em uma audiência preliminar, algo que se espera que ocorra ao longo das próximas horas.

Jornal Midiamax