Geral

“Se for para o Tite ser demitido, prefiro perder”, diz Felipão

Tranquilo no comando do Palmeiras, que lidera o Campeonato Paulista e vem tendo um início de ano muito bom, o técnico Luiz Felipe Scolari se compadeceu nesta sexta-feira (4) de seu colega de trabalho Tite, que vive dias conturbados no Corinthians e pode perder o emprego caso o Alvinegro perca o clássico contra o Verdão, […]

Arquivo Publicado em 04/02/2011, às 22h40

None

Tranquilo no comando do Palmeiras, que lidera o Campeonato Paulista e vem tendo um início de ano muito bom, o técnico Luiz Felipe Scolari se compadeceu nesta sexta-feira (4) de seu colega de trabalho Tite, que vive dias conturbados no Corinthians e pode perder o emprego caso o Alvinegro perca o clássico contra o Verdão, neste domingo (6), no Pacaembu.


Felipão afirmou, em entrevista coletiva, que é ruim enfrentar um clube quando o seu treinador está na corda bamba. Tite está ameaçado depois da eliminação do Corinthians na Pré-Libertadores, diante do Deportes Tolima, da Colômbia.


– Não é motivador. Para mim é desestimulador. Não é só o Tite que é culpado pela derrota, são todos. Todos têm que assumir a sua culpa lá dentro do Corinthians, assim como todos tivemos que fazer no Palmeiras. Se disserem “ganhando o Palmeiras sai o Tite”, eu gostaria de perder o jogo.


Embora tenha dito que não quer prejudicar Tite, Felipão lembrou que a vitória é importante para dar ao Palmeiras a tranquilidade para a sequência do Paulistão. Contudo, ele não vê maior importância em pontos conquistados em clássicos.


– Sempre é bom a gente enfrentar rivais com esta qualidade e vencê-los, mas todos devemos saber que são três pontos iguais aos pontos do Mirassol, do Paulista… Temos que fazer a nossa lição de casa e jogar contra qualquer adversário visando aos três pontos. Claro que estamos em uma situação excelente, mas o respeito é grande e sabemos que a qualidade deles é igual à nossa. No ano passado foi até superior.


Felipão aproveitou para criticar o otimismo e a impressão de que o Palmeiras chegará ao clássico como favorito, dizendo que o placar inicial “não é 15 a 0 para nós”.


O técnico palmeirense crê que um dos fatores diferenciais do Palmeiras no início da temporada é o físico e parabenizou o preparador Anselmo Sbragia, mas disse que o Campeonato Paulista não é parâmetro para fazer uma análise aprofundada da equipe.


– Tem que ter calma. Estamos jogando o Campeonato Paulista. Ainda não começou o Brasileiro. A equipe está muito bem no Paulista, mas falta enfrentar outras competições. Se estivermos bem em outras competições desse nível, aí podemos dizer que sim, que o time está bem.

Jornal Midiamax