Geral

Rompimento de cabo da Embratel em MS tira sistema do Banco do Brasil e irrita clientes

Os transtornos gerados pelo rompimento de um cabo de fibra ótica da Embratel, empresa que cuida da internet do Banco do Brasil, já atingem a população da capital, nesta sexta-feira (23). Há menos de dois dias para o Natal, muitos clientes chegaram às agências para realizar saques, pagamentos, depósitos e outras transações, mas foram impedidos […]

Arquivo Publicado em 23/12/2011, às 19h11

None
1058996904.jpg

Os transtornos gerados pelo rompimento de um cabo de fibra ótica da Embratel, empresa que cuida da internet do Banco do Brasil, já atingem a população da capital, nesta sexta-feira (23). Há menos de dois dias para o Natal, muitos clientes chegaram às agências para realizar saques, pagamentos, depósitos e outras transações, mas foram impedidos de entrar no local por conta do problema.

Já os funcionários, ao invés de ficar em seus postos de trabalho, tiveram de realizar uma “triagem” e encaminhar os clientes para outro local, como as casas lotéricas, caixas 24h e o Aqui Mais Brasil, que é um correspondente bancário.

”Faz muito tempo que eu cancelei meus cheques e só tenho cartão para saque. Jamais imaginei que ia passar por isso e deixei para fazer os meus compromissos todos hoje, como compras de Natal e pagar contas. Tinha de ter um sistema de internet de mais segurança, porque nós nos sentimos desprovidos”, afirma a psicóloga Renata Jorge Miranda.

Já a técnica de enfermagem, Antônia Anadir Basílio, afirma que o problema na internet começou ontem na rede bancária. “Eu fui em uma agência do Banco do Brasil no meu bairro para sacar o meu salário, de R$1.050. Tentei retirar para depositar, mas neste momento a tela congelou com todos os meus dados e ainda não retirou o dinheiro. Por telefone, verifiquei hoje de manhã o meu saldo e já não tinha mais nada. Hoje vim aqui para resolver o problema e só saio quando estiver tudo certo”, conta Basílio.

Após ser ter o seu cartão furtado em Miranda, cidade distante a 203 quilômetros da capital, a trabalhadora rural Rosilda Cordeiro, 74 anos, conta que veio a cidade para resolver o problema e não esperava que seria dispensada pelos funcionários da agência. “Eu comprei passagem e se não resolverem o meu problema, vou ter de viajar e voltar outro dia, gastando novamente com passagem. A agência poderia prencher um requisito e resolver o meu problema do mesmo jeito. Não tenho dinheiro para viajar a todo o momento e acho isso uma falta de respeito”, avalia Cordeiro.

Até as 15h20min de hoje, a assessoria de imprensa da Embratel não havia confirmado o problema, que continua sem soluções no Banco do Brasil.

Jornal Midiamax