Geral

Rio Brilhante pode se tornar a Capital Estadual do Chamamé

O deputado estadual Paulo Corrêa, 1º secretário da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul, apresentou hoje (27), durante sessão plenária, o projeto de lei que dá ao município de Rio Brilhante o cognome de “Capital Estadual do Chamamé”. A cidade foi palco, no último fim de semana, do 1º Festival do Chamamé do Mato […]

Arquivo Publicado em 28/09/2011, às 18h14

None

O deputado estadual Paulo Corrêa, 1º secretário da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul, apresentou hoje (27), durante sessão plenária, o projeto de lei que dá ao município de Rio Brilhante o cognome de “Capital Estadual do Chamamé”.

A cidade foi palco, no último fim de semana, do 1º Festival do Chamamé do Mato Grosso do Sul. Segundo os organizadores, o objetivo do evento foi resgatar as raízes musicais do Estado e valorizar os artistas sul-mato-grossenses.

Para o deputado Paulo Corrêa, eventos como esse são importantes e valorizam a cultura do Mato Grosso do Sul. “O chamamé é um ritmo regional, do nosso Estado, e deve ser valorizado pela população. Eventos assim são importantes para disseminar essa cultura”, explicou.

Corrêa é autor da lei 3.837, de 23 de dezembro de 2009, que institui 19 de setembro como o Dia Estadual do Chamamé e explica que a ideia de transformar Rio Brilhante na Capital Estadual do Chamamé surgiu do grande destaque que a cidade vem ganhando com realização de atividades que visam resgatar a cultura fronteiriça.

“A primeira edição do Festival foi um grande sucesso, e transformar Rio Brilhante na Capital do Chamamé é uma forma de tornar esse evento uma tradição em Mato Grosso do Sul”, ressaltou.

São co-autores do projeto de lei os deputados Laerte Tetila (PT), Maurício Picarelli (PMDB), Antônio Carlos Arroyo (PR), Zé Teixeira (DEM), Junior Mochi (PMDB), Pedro Kemp (PT), Marcio Monteiro (PSDB), Lauro Davi (PSB), Paulo Duarte (PT), Mara Caseiro (PTdoB), Marcio Fernandes (PTdoB) e Professor Rinaldo (PSDB).

Jornal Midiamax