Dezoito diplomatas brasileiros lotados em embaixadas da Europa, Ásia, do Oriente Médio e de países da América participarão, a partir de amanhã (21) até 30 de novembro, do Programa de Imersão no Agronegócio Brasileiro, dos Mapa (ministérios da Agricultura) e de MRE (Relações Exteriores).

Os diplomatas visitarão municípios de São Paulo, Mato Grosso do Sul, do Paraná e Rio Grande do Sul. A ideia do governo é que eles aprofundem seus conhecimentos sobre as peculiaridades do agronegócio nacional e estejam preparados para as negociações internacionais que envolvem o setor.

Segundo a assessoria de imprensa do Mapa, os diplomatas terão contato com representantes de entidades dos setores exportadores e visitarão fazendas e unidades de processamento de carnes bovina, suína e de frango e de produção de etanol e vinho.

Técnicos do Mapa alegam que, em várias negociações internacionais, são feitas exigências e impostas barreiras aos produtos brasileiros que desconsideram as diferenças de produção entre os países. Este mês, o governo confirmou que entrará com uma ação na OMC (Organização Mundial do Comércio) envolvendo a União Europeia. O bloco econômico exige um credenciamento individual das fazendas brasileiras que exportam carne bovina, o que não é feito com outros países, e leva em conta ações de controle da doença da vaca louca, que não existe no Brasil.