Geral

Processo de transição em Dourados começa nesta segunda com reunião especial do secretariado de Délia

De acordo com o advogado Maurício Rasslan (foto), secretário municipal de Governo, cada titular de pasta ficará responsável por fazer um levantamento de sua secretaria

Arquivo Publicado em 30/01/2011, às 19h00

None

De acordo com o advogado Maurício Rasslan (foto), secretário municipal de Governo, cada titular de pasta ficará responsável por fazer um levantamento de sua secretaria

A uma semana da eleição fora de época que indicará o novo prefeito de Dourados a maior preocupação da prefeita interina Délia Razuk (PMDB) é entregar a administração de Dourados para o eleito de forma “redonda”.

Com isso a prefeita quer facilitar as ações do novo prefeito que ainda não deve ter noção do tamanho da máquina administrativa e dos estragados financeiros e administrativos deixados pelo ex-prefeito Ari Artuzi.

O secretário municipal de Governo, o advogado Maurício Rasslan confirmou a intenção da prefeita e não dificultar o processo de transição que é iniciado somente depois da eleição e diplomação do vencedor.

“Queremos começar bem antes a transição e por este motivo vamos realizar na manhã desta segunda-feira uma reunião secretariado especifica para este fim”, enfatizou Rasslan ao adiantar que cada secretário ficará responsável para realizar um levantamento situacional de sua pasta e apresentar um relatório em uma semana.

De posse destes diagnósticos de cada secretária, Maurício Rasslan, acredita que será possível criar uma comissão de transição com membros da administração e representantes do prefeito a ser eleito.

Desta forma, segundo Rasslan, o novo prefeito terá condições de começar seu governo sabendo a real situação da máquina administrativa e “não correremos o risco de atrapalhar a retomada da paz política em Dourados”.

“Vamos fazer um detalhamento tim-tim por tim-tim de tudo que diz respeito sobre a Prefeitura de Dourados, desde levantamento das dívidas, precatórios, mobiliários, equipamentos, veículos, número de funcionários, licitações e andamento de obras e emendas federais”, disse o secretário de Governo.

Jornal Midiamax