O líder do PR na Câmara, Lincoln Portela (MG), afirmou nesta terça-feira (16) que o PR não fará parte da base aliada do governo no Congresso, mas continuará a apoiar as ações do governo Dilma Rousseff. A posição do partido deve ser confirmada durante discurso do senador Alfredo Nascimento, previsto para esta tarde, no Senado.

“O Partido da República (PR) não é base de apoio da presidente Dilma, porém é apoio à presidente Dilma Rousseff. O partido continua apoiando as iniciativas, apoiando o governo, acreditamos nesse governo e continuaremos com ele. Queremos, porém, dar uma tranquilidade maior ao governo para que ele possa caminhar com sua base com o PR um pouco mais distante ”, disse Portela.

Questionado se o PR, ao sair da base aliada, entregaria os cargos que ainda ocupa no governo federal, Portela afirmou que caberá a cada um dos parlamentares e às bancadas estaduais definir esta questão.

“Isso é uma questão individual de parlamentares. Bancadas estaduais que quiserem continuar com cargos e o governo quiser dessa mesma maneira atender a esses parlamentares, é um problema dessas bancadas com o governo”, disse Portela.

No início de julho, após uma série de denúncias sobre a existência de um suposto esquema de superfaturamento de obras envolvendo servidores da pasta, o então ministro Alfredo Nascimento (PR) pediu demissão. Além de Nascimento, mais de 20 integrantes do ministério e do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) foram demitidos ou pediram demissão, vários deles ligados ao PR.