Policiais Militares Ambientais de Porto Murtinho e Bonito (MS) prenderam nesta sexta-feira (26) um caminhão Ford, placas HQS 1783, carregado com 12 m³ de lenha nativa, sem documentação Ambiental (DOF – Documento de Origem Florestal). Junto com o motorista responsável pela carga ilegal, também estava um homem residente de Caracol, campeiro de profissão, que acabou sendo acusado pelo crime de caça. 

O passageiro trabalhava em uma carvoaria e com ele, os policiais apreenderam uma espingarda, calibre 22 e um animal silvestre da espécie “veado-catingueiro” abatido. Ambos os infratores foram conduzidos à Delegacia de Polícia Civil de Porto Murtinho, onde foram autuados em flagrante pelos crimes e saíram após pagamento de fiança de R$ 1.200,00.

A abordagem trata-se de uma operação conjunta nos dois municípios e ocorreu em uma rodovia vicinal de Porto Murtinho. O proprietário da madeira ilegal, residente em Porto Murtinho foi autuado administrativamente e multado em R$ 3.600,00. A lenha e o veículo foram apreendidos. Ele responderá por crime ambiental, e se condenado, poderá pegar pena de 6 meses a 1 ano de detenção.

 Já o responsável pela caça foi multado em R$500,00 pelo animal abatido. Ele responderá por crime ambiental, e caso seja condenado, poderá pegar pena de 06 meses a 01 ano de detenção. Além disso, também inclui a pena de 01 a 03 anos de reclusão pelo porte ilegal da arma.