Geral

PM flagra assalto e prende rapaz dentro de comércio

A Polícia Militar apreendeu na madrugada de hoje (29) um adolescente de 16 anos, por ter assaltado a conveniência do Jarrão que fica na Marechal Deodoro no bairro Coophavila. No ultimo dia 23, um rapaz foi assassinado perto do comércio que, de acordo com moradores próximos, é local de brigas, som alto e até de sexo explícito […]

Arquivo Publicado em 29/01/2011, às 14h18

None

A Polícia Militar apreendeu na madrugada de hoje (29) um adolescente de 16 anos, por ter assaltado a conveniência do Jarrão que fica na Marechal Deodoro no bairro Coophavila. No ultimo dia 23, um rapaz foi assassinado perto do comércio que, de acordo com moradores próximos, é local de brigas, som alto e até de sexo explícito envolvendo menores de idade.

R.B, estava armado com uma revólver calibre 32, quando abordou o dono da conveniência, Willian da Cruz, de 33 anos. O rapaz chegou pedindo todo o dinheiro do caixa. Ele pegava em certa quantia, algo em torno de R$ 24, quando a policia chegou no local.

O adolescente colocou a arma em cima do balcão e deitou no chão. A polícia apreendeu o adolescente, o dinheiro estava dentro de seu bolso.

Crime

O porteiro de prédios, Leonardo da Silva Oliveira, 24, foi morto a tiros no domingo (23) próximo da coveniência do Jarrão .De acordo com a polícia, dois homens em uma motocicleta Titan preta efetuaram dois disparos que atingiram o abdômen e tórax do rapaz.

Mesmo ferido ele chegou a correr alguns metros. O pai da vítima contou à polícia que havia ligado para o filho às 6h para que retornasse para casa no Jardim das Mansões.

De acordo com testemunhas houve uma discussão entre a vítima e outras pessoas na conveniência do Jarrão que fica a uma quadra de onde ocorreu o crime. Ele foi socorrido pelo Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência).

Leonardo estacionou sua moto Honda Biz na rua Gabriel Cardoso Ramalho, esquina com Marechal Deodoro para esperar um amigo, momento em que foi atingido.

Reclamações da conveniência do Jarrão

De acordo com um comerciante da região que preferiu não se identificar, a conveniência que funciona há três meses é local de som alto, brigas e até sexo explícito em via pública.

“O cara fez sexo aqui olha [exibe o local], eu tive que recolher camisinha também. Aqui tem de tudo, ninguém dorme é som alto briga e menina menor de idade fazendo sexo e strip-tease”, disse um morador.

Jornal Midiamax