Geral

Pacientes do UPA Cnel Antonino reclamam de demora no atendimento

Pacientes do UPA Cnel Antonino reclamam de demora no atendimento

Arquivo Publicado em 19/10/2011, às 17h37

None
872119391.jpg

Pacientes do UPA Cnel Antonino reclamam de demora no atendimento

Pacientes da UPA (Unidade de Pronto Atendimento) do Cnel Antonino reclamam da demora e falta de atendimento no local. Nesta quarta-feira (19), o Midiamax foi procurado para verificar porque não havia atendimento no local.


Glaucia Matos , 28 anos, caixa, desistiu de esperar. No momento em que saiu da unidade e foi para a rua para ir embora passou mal, quase desmaiou, e somente ai foi socorrida.


A amiga, Laura Diniz, 28 anos, autônoma, disse que está indignada. Segundo ela, o médico não pediu exames para investigar o que acontece com Glaucia e apenas passou dipirona.


Glaucia conta que está com muita dor no lado esquerdo do corpo e que apesar de ter reclamado, antes de resolver sair, não teve prioridade no atendimento. A paciente acredita que está com problemas no nervo ciático.


Elas ainda citam que havia muitas pessoas na espera passando mal. Segundo as amigas, a aparência de dor nas pessoas só poderia ser de casos de emergência.


Dona Teresa Aguena, funcionária pública federal aposentada, foi ao UPA levar a amiga, já idosa. Aguena conta que a amiga sente muita dor na coluna e que apesar da idade não teve prioridade. “Ela estava sentindo muita dor e eles mandaram esperar”, reclama.


Ela ainda conta que ao chegar ao local os funcionários informaram que era para elas irem embora, pois não havia médicos. Contudo, depois de muito esperar foram atendidas.


A vendedora Clotilde Paz dos Santos, 42 anos, que trabalha em frente ao posto disse que ouviu os pacientes relatarem desde o início da semana que não tinha médico clínico geral atendendo.


Segundo ela, os clínicos gerais só estão atendendo à noite o que faz os pacientes ir de lá para cá, entre a UPA do Cnel Antonino e o da Vila Almeida.


Outro lado


A enfermeira responsável pelo local disse que os atendimentos estão ocorrendo normalmente. Que não está faltando médico e que os pacientes, em algumas vezes, costumam agravar a situação.

Jornal Midiamax