O número de incêndios registrados este ano triplicou em relação ao mesmo período do ano passado, aponta levantamento realizado pelo Corpo de Bombeiros. Foram 2.623 ocorrências em Mato Grosso do Sul, sendo 632 no mês de agosto e 232 só em Campo Grande.

“Esse tempo seco é propício a incêndios. A população deve ficar em alerta”, comenta o chefe da assessoria de comunicação dos Bombeiros de Mato Grosso do Sul, coronel Joilson de Paula. Nos meses de julho e agosto, a umidade relativa do ar ficou abaixo dos 20% por diversas vezes.

Em Campo Grande, por exemplo, um incêndio consumiu parte da vegetação do Parque Anhanduí no último dia 15. O Corpo de Bombeiros enviou ao local 12 militares que trabalharam durante cinco horas para conter as chamas.

Já no Interior, os focos se concentram principalmente nas regiões norte e nordeste, as mais castigadas pela estiagem. Também no dia 15, um incêndio de grandes proporções destruiu uma lavoura de milho de uma fazenda distante cerca de 20 quilômetros de Chapadão do Sul. A cortina de fumaça que se formou podia ser vista a mais de 20 quilômetros de distância.

“Na maioria dos casos o incêndio é causado por limpeza de terreno. Mesmo sendo proibido as pessoas ainda tem este terrível hábito”, comenta o coronel.

Quem for pego ateando fogo poderá receber uma multa que varia de R$ 1.300 a R$ 5.200.