Geral

No Rio, barca se choca contra pier próximo à Praça 15. Vítima relata descaso

O catamarã social Gávea I, da concessionária Barcas S/A, que transportava mais de 900 passageiros, se chocou contra um pier desativado ao lado da estação Praça 15 no início da tarde desta segunda-feira (28), informou a assessoria de imprensa da empresa. Os bombeiros estão no local. De acordo com o gerente de logística e atendimento […]

Arquivo Publicado em 28/11/2011, às 18h37

None

O catamarã social Gávea I, da concessionária Barcas S/A, que transportava mais de 900 passageiros, se chocou contra um pier desativado ao lado da estação Praça 15 no início da tarde desta segunda-feira (28), informou a assessoria de imprensa da empresa. Os bombeiros estão no local. De acordo com o gerente de logística e atendimento ao usuário da empresa, Mário Góes, cerca de 25 pessoas ficaram feridas.



O acidente deixou os passageiros em pânico. De acordo com informações postadas pelos usuários do serviço nas redes sociais, o barco bateu duas vezes contra o atracadouro e há “muitas pessoas feridas”.



Por conta da colisão, cadeiras da embarcação chegaram a ser arrancadas. O fato foi fotografado pelos usuários, mas em entrevista à imprensa, Mário Góes chegou a negar o ocorrido. A assessoria de imprensa divulgou uma nota esclarecendo oequívoco: ”


“Atualizando entrevista do gerente de Atendimento e Logística ao Usuário da Barcas S/A, Mário de Góes, quando foi informado que não havia cadeiras quebradas, a concessionária explica que, após avaliação de equipe técnica da empresa, foi apurado que realmente algumas cadeiras se quebraram e/ou soltaram, por conta do impacto”.



Segundo a publicitária Thais Cravo, 23, que estava no catamarã, momentos antes do acidente, uma funcionária da Barcas S/A gritou, por meio do serviço de alto-falante: “Vai bater!”. Outra passageira, a professora universitária Graciana Fischer, contou que uma funcionária gritava “Solta o ferro (âncora)!”. O anúncio deixou os passageiros em pânico:



“As pessoas começaram a sair correndo, e quando a barca bateu, caíram todos uns por cima dos outros”, contou Thais. A assessoria de imprensa informou que é recomendação de segurança informar os passageiros em caso de necessidade.



Passageiros acrescentaram que a barca Gávea I nem chegou a desacelerar antes do impacto. “Quem estava desligado achou que estava no meio da baía”, contou uma usuária do serviço. “Depois do primeiro impacto, muita gente levantou dos bancos para buscar os salva-vidas e então a barca bateu pela segunda vez. Houve pânico geral”.



Thais informou ainda que uma idosa bateu com a cabeça e desmaiou. Uma menina ficou com o braço quebrado. Os passageiros foram transportados para outro barco, e começaram a atracar na estação do Rio de Janeiro cerca de 40 minutos após o acidente.



De acordo com a empresa, no entanto, os passageiros tinham “escoriações leves e sintomas de ansiedade” quando foram atendidos por oficiais dos bombeiros.



Ainda de acordo com a publicitária, na chegada dos passageiros, não havia paramédicos ou bombeiros no local para receber os feridos. Outras vitimas relataram que o resgate demorou cerca de 1h para chegar.



De acordo com a assessoria de imprensa do Corpo dos Bombeiros do Rio, os passageiros feridos podem ser levados para o hospital Souza Aguiar, Andaraí e Miguel Couto.


Jornal Midiamax