Geral

Lotada, praça faz coro com Ângela Maria na homenagem às mães em Corumbá

A Praça da Independência ficou pequena para a festa proporcionada pela cantora Ângela Maria em homenagem às mães pantaneiras. O show foi nesta sexta-feira (06) durante a Noite da Seresta, realizada pela Prefeitura de Corumbá, marcada pela presença de uma das grandes estrelas da Música Popular Brasileira, e do próprio público que fez coro com […]

Arquivo Publicado em 07/05/2011, às 20h45

None

A Praça da Independência ficou pequena para a festa proporcionada pela cantora Ângela Maria em homenagem às mães pantaneiras. O show foi nesta sexta-feira (06) durante a Noite da Seresta, realizada pela Prefeitura de Corumbá, marcada pela presença de uma das grandes estrelas da Música Popular Brasileira, e do próprio público que fez coro com a artista, cantando músicas dela própria, de Dorival Caymmi, Lupicínio Rodrigues, Beth Carvalho, Herivelto Martins, Vinícius de Morais, Tom Jobim e muitos outros.


Angela Maria subiu ao palco por volta das 22h30. Comemorando 60 anos de carreira, a recordista mundial de gravações de disco (114), reconhecido pelo Guinness Book, ela encantou o público presente, formado. Grande parte teve o prazer de acompanhar de perto a carreira da artista. A entrada não poderia ter sido melhor: Olhos Verdes, canção composta em 1950 por Vicente Paiva.


Às vésperas de completar 83 anos de idade, nasceu em Macaé, RJ, em 13 de maio de 1928, a cantora relembrou antigos sucessos e ‘comandou’ uma viagem ao passado. Os mais jovens, apesar de não terem acompanhado a carreira da artista de perto, também faziam parte do coral, cantando junto músicas como Só Louco, de Dorival Caymmi; Ronda, de Emílio Santiago; As rosas não falam, de Beth Carvalho; Cinderela, de Adelino Moreira; Lábios de Mel, de Valdir Rocha; Vingança, de Lupicínio Rodrigues; Brigas, de Jair Amorim e Evaldo Gouveia; Barracão de zinco, de Luiz Antônio e Oldemar Magalhães; Ave Maria no morro e Sinfonia de pardais, de Herivelto Martins; Babalú, dela própria; Se todos fossem no mundo iguais a você, de Vinícius de Morais e Tom Jobim, entre muitas outras.


As mães foram lembradas pela artista por meio de uma homenagem toda especial, com a canção Mamãe, de David Nasser e Herivelto Martins. Angela Maria interagiu com o público. Conversou bastante, elogiou o coral com a participação só das mulheres (o dos homens não decolou), agradeceu o carinho recebido em Corumbá, cidade que retornou 38 anos depois. Este aqui em 1972, como bem lembrou antes da sua apresentação, enquanto recebia fãs de todas as idades no camarim, especialmente preparado para ela.


Nasce uma estrela


A Noite da Seresta especial em homenagem às mães, organizada pela Fundação de Cultura e Turismo do Pantanal de Corumbá, foi marcada também pelas apresentações de artistas da terra, como Elizeth, Doralina, Joice, Luciana, Douglas, Evandro, Ferreira, Lú Barreto, e outros. Mostrou também que está surgindo em Corumbá, uma grande estrela, Brenda Rodrigues, a Brenda Violeira do Pantanal.


Com apenas oito anos de idade, ela encantou o público com sua voz firme. Após a primeira canção, todos pediram bis e ela não deixou por menos. Com a viola nos braços, brindou os presentes com Mercedita, música paraguaia que tanto sucesso faz ainda hoje no Brasil. Brenda estava acompanhada do pai no palco, Adelíbio Rodrigues, Disse que seu sonho é “ser uma estrela da música brasileira” e que a presença marcante do público, lotando a praça, não a deixou nervosa. “Gostei muito, não fiquei nervosa, me soltei normal”, disse a violeira pantaneira.

Jornal Midiamax