Geral

Ladrões rendem vigia e roubam caixa eletrônico do Banco do Brasil

Uma quadrilha especializada em roubos de caixas eletrônicos agiu entre a noite de ontem e a madrugada de hoje na cidade de Antônio João, a 402 quilômetros de Campo Grande. Depois de render um vigilante e cortar com um maçarico o caixa eletrônico do Banco do Brasil, instalado na praça central da cidade, os ladrões […]

Arquivo Publicado em 02/02/2011, às 20h27

None

Uma quadrilha especializada em roubos de caixas eletrônicos agiu entre a noite de ontem e a madrugada de hoje na cidade de Antônio João, a 402 quilômetros de Campo Grande. Depois de render um vigilante e cortar com um maçarico o caixa eletrônico do Banco do Brasil, instalado na praça central da cidade, os ladrões fugiram levando o dinheiro, cujo montante ainda não foi divulgado pelo banco.


O vigia L. R. D., de 60 anos, contou à Polícia Militar que por volta das 23h de ontem (1), quando estava adentrando o salão no qual fica o caixa eletrônico, na Praça Carolina Wider Penzo, dois indivíduos estavam sentados próximo à porta. Eles também entraram e o renderam, anunciando que se tratava de um assalto.


O vigilante disse que foi amarrado com fita adesiva larga. A vítima permaneceu amarrada num dos cômodos do salão e ouviu que mais pessoas chegavam e começaram a arrombar o caixa.


Os bandidos colocaram uma lona preta na porta de vidro do salão para não serem descobertos e utilizaram um maçarico para arrombar o cofre. Antes de sair, um dos assaltantes disse ao guarda que era para ele aguardar dez minutos antes de se soltar e acionar a polícia.


O vigia disse aos PMs que duas horas antes, às 21h, ele foi abordado por dois homens que estavam em uma picape branca, com uma escada em cima, que queriam saber se havia Banco do Brasil na cidade. Ele respondeu que havia somente caixa eletrônico, na praça, que era usado para saques.


Os desconhecidos foram ao local e depois foram embora. No interior do salão a polícia encontrou uma lona preta e várias garrafas pet de 2 litros, aparentemente usadas para acondicionar água. Peritos da Polícia Civil foram ao local fazer os levantamentos. Ninguém foi preso.

Jornal Midiamax