Geral

Homem tenta matar companheiro de trabalho em Japorã

Ofendido por ser chamado de “bêbado relaxado”, pelo companheiro de trabalho, C. dos Santos, de 20 anos, apanhou uma espingarda cartucheira, calibre 28 e atirou contra o próprio companheiro de trabalho. A tentativa de homicídio aconteceu no final da tarde desse domingo, 1º de maio, em uma fazenda situada no município de Japorã, mas o […]

Arquivo Publicado em 02/05/2011, às 16h08

None

Ofendido por ser chamado de “bêbado relaxado”, pelo companheiro de trabalho, C. dos Santos, de 20 anos, apanhou uma espingarda cartucheira, calibre 28 e atirou contra o próprio companheiro de trabalho.


A tentativa de homicídio aconteceu no final da tarde desse domingo, 1º de maio, em uma fazenda situada no município de Japorã, mas o caso foi registrado na Delegacia de Polícia Civil de Iguatemi, município onde o autor foi preso por uma equipe da Polícia Militar local.


Segundo a Polícia Civil, após efetuar o disparo, que atingiu o braço e parte do peito da vítima, J. P. Barbosa, de 48 anos, Claudinei ainda teria trocado o cartucho da espingarda e tentado atirar novamente contra a vítima, mas a arma teria falhado.


Diante da situação o rapaz teria saído correndo, jogado a espingarda em um riacho situado próximo ao local e tentado fugir em direção a cidade de Iguatemi, a cerca de 20 quilômetros da fazenda, abordo de um táxi.


Acionada por populares, a Polícia Militar de Iguatemi montou uma barreira na entrada da cidade. Segundo a PM, ao abordar do táxi, o passageiro C. A. teria deixado o veículo e tentado fugir a pé, mas acabou retido pelos policiais.


Ao ser preso o rapaz confessou a tentativa de homicídio. Ele foi conduzido para a Delegacia de Polícia Civil de Iguatemi onde foi autuado em flagrante pelo delegado, Dr. Walter Guelssi e permanece preso na cadeia pública local à disposição da Justiça.


J. P. B. foi socorrido para o Pronto Socorro Municipal de Iguatemi, onde recebeu o atendimento de emergência, posteriormente foi encaminhado para um hospital com maiores recursos médicos na cidade de Dourados. Segundo a Polícia Civil seu estado de saúde exigia cuidados, mas ele não corria risco de morte. 

Jornal Midiamax