Geral

Homem é encontrado morto em chácara de militares

O corpo de um homem foi encontrado na manhã desta quarta-feira (09), na chácara da Associação dos Cabos e Soldados do Exército Brasileiro, localizada na Rua Paiaguás, no Bairro Colibri. Segundo informações da Polícia Militar de Campo Grande, o zelador da chácara Fernando Albuquerque Junior, ligou para a um cabo do exército por volta das […]

Arquivo Publicado em 09/02/2011, às 12h55

None
2125581654.jpg

O corpo de um homem foi encontrado na manhã desta quarta-feira (09), na chácara da Associação dos Cabos e Soldados do Exército Brasileiro, localizada na Rua Paiaguás, no Bairro Colibri.

Segundo informações da Polícia Militar de Campo Grande, o zelador da chácara Fernando Albuquerque Junior, ligou para a um cabo do exército por volta das 7h de hoje, dizendo que ele agrediu um homem que tentou entrar no local nessa madrugada.

Fernando teria agredido brutalmente o rapaz moreno, com cerca de 1, 70 mts, que morreu no local e se encontra em um quarto da chácara, caído no chão, de bruços e vários ferimentos na cabeça. Ele teria sido agredido com pedaços de madeira.

Com a chegada da perícia na chácara, a vítima foi identificada, sendo Henrique Delgado Ramão, de 19 anos. Dentro do quarto, onde a vítima foi encontrada tem um cofre, uma cama, uma mesa com alguns mantimentos e um rádio pequeno que estava ligado.

Uma agente de saúde esteve no local esta manhã e disse que a vítima estava morando no local há algum tempo, mas não têm informações sobre a relação entre os dois.

Segundo a delegada Marília de Brito da Depac Piratininga, a princípio houve uma tentativa de furto e os dois teriam entrado em luta corporal. A perícia ainda está no local para averiguar mais informações.

Moradores próximos da chácara, disseram que o local está abandonado há cerca de três anos, mas constantemente é usado para festas e ‘bagunças’, além disso, durante a noite usuários de droga vão até a chácara para usar os entorpecentes.

No terreno, entre a casa e um mata, a polícia encontrou um papelote pequeno de maconha.

O acusado não se encontra no local, acredita-se que ele tenha fugido com medo de represália de moradores do local.

(Matéria editada às 10h37 para acréscimo de informações)

Jornal Midiamax