Geral

Hemocentro cadastra doadores durante projeto de informação a calouros da UEMS

Nesta quinta-feira (17), durante o primeiro dia de programação do Projeto de Integração e Informação dos Calouros (Proinca), o Hemocentro de Dourados está na UEMS para cadastrar pessoas interessadas em serem doadoras de medula óssea. O cadastro será realizado no laboratório de Enfermagem do Bloco “D” da Universidade nos períodos matutino, vespertino e noturno. “Todos […]

Arquivo Publicado em 17/03/2011, às 10h15

None

Nesta quinta-feira (17), durante o primeiro dia de programação do Projeto de Integração e Informação dos Calouros (Proinca), o Hemocentro de Dourados está na UEMS para cadastrar pessoas interessadas em serem doadoras de medula óssea.

O cadastro será realizado no laboratório de Enfermagem do Bloco “D” da Universidade nos períodos matutino, vespertino e noturno. “Todos os voluntários, desde servidores, alunos e até pessoas da comunidade externa poderão participar”, diz assistente social da UEMS, Miriam Montenegro.

De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca), qualquer pessoa entre 18 e 55 anos com boa saúde pode doar medula óssea. Os doadores preenchem um formulário com dados pessoais e, em seguida, é coletada uma amostra de sangue com 5 ml para testes. Estes testes determinam as características genéticas que são necessárias para a compatibilidade entre o doador e o paciente.

Os dados pessoais e os resultados dos testes são armazenados em um sistema informatizado que realiza o cruzamento com dados dos pacientes que estão necessitando de um transplante e, se houver compatibilidade, o doador é chamado para exames complementares e para realizar a doação.

O Inca solicita àqueles que já são doadores de medula, que mantenham seus cadastros sempre atualizados. “O Transplante de Medula Óssea é a única esperança de cura para muitos portadores de leucemia e outras doenças do sangue”, destaca o site do Inca.

Jornal Midiamax