Geral

Fla e Bota fazem clássico em ritmo de festa junina no Rio

Tradicionais por todo o país, as festas juninas fazem a alegria do povo nesta época. Inspirados pelo ritmo contagiante, Flamengo e Botafogo farão neste domingo, no Engenhão, um duelo de autênticas quadrilhas, embaladas pelo sistema da moda no futebol. Na dança dos esquemas táticos, os treinadores dos dois rivais criaram uma coreografia bem ensaiada. Tanto […]

Arquivo Publicado em 19/06/2011, às 15h08

None

Tradicionais por todo o país, as festas juninas fazem a alegria do povo nesta época. Inspirados pelo ritmo contagiante, Flamengo e Botafogo farão neste domingo, no Engenhão, um duelo de autênticas quadrilhas, embaladas pelo sistema da moda no futebol.

Na dança dos esquemas táticos, os treinadores dos dois rivais criaram uma coreografia bem ensaiada. Tanto Vanderlei Luxemburgo quanto Caio Junior apostam no ritmo dos meias ofensivos para fazer do ataque uma arma letal no clássico. Ambos jogarão no 4-2-3-1, consolidando o sistema do momento e, assim, não deixando a fogueira apagar no Campeonato Brasileiro.

Um passo (ou ponto) à frente do adversário na competição, o Botafogo quer fazer do Engenhão o seu palco para ganhar mais votos na avaliação da exigente torcida, que vem ganhando bons motivos para acreditar no time depois das últimas exibições. Caio Junior está empolgado com o que os seus comandados podem apresentar.

– Temos jogadores muito motivados. O que eu considero principal é ter uma equipe preparada. É normal esse clima de clássico. Há muita euforia, mas o que conta mesmo é a confiança – disse.

Se de um lado o discurso está afinado, do outro a motivação é o maior componente a ser usado. Como o Flamengo ainda não ganhou nota 10 no quesito “espetáculo”, a torcida anda desconfiada com a evolução do time. O condutor dos pares rubro-negros espera que o ritmo seja recuperado para voltar a vencer no Brasileiro depois de três jogos.

Em má fase, Ronaldinho Gaúcho é o mais cobrado, mas tem no chefe seu maior defensor. Luxemburgo terá de encontrar uma forma para não deixar seu maior astro fora de compasso. E usa a oratória para mostrar a força não só do R10 como de todo o grupo.

– O Engenhão é um estádio no qual Flamengo não tem perdido. Nós perdemos apenas um jogo em seis meses, independentemente do estádio. Estamos a dois pontos do terceiro colocado. O empate contra o Bahia nos trouxe algumas críticas que eu não concordo, mas não me incomoda. A cada jogo nós podemos mudar as coisas – afirmou.

As bandeiras rubro-negras e alvinegras estão preparadas. Sem o Maracanã, o palco das emoções do futebol carioca mudou de endereço. Agora, resta saber quem ensaiou melhor para receber mais aplausos da plateia. Na tabela, o Botafogo tem pequena vantagem sobre o que o adversário. Mas ela é mínima. A competição só está no início, porém, a rivalidade sugere um duelo emocionante. E o prêmio será uma vitória para garantir uma semana tranquila.

Jornal Midiamax