Considerado o sucessor do presidente da Líbia, Muammar Khadafi, Saif Al Islam, um dos sete filhos do líder foi capturado. A informação foi confirmada pelo Tribunal Penal Internacional (TPI) ontem (21). Na madrugada de hoje (22), o canal da emissora estatal do país foi tirado do ar e a transmissão da rede Al-Libiya, que pertence a Saif al-Islam, também foi interrompida.

Segundo relatos dos rebeldes, um outro filho de Khadafi – Mohammed – rendeu-se à oposição, assim como a guarda pessoal do líder líbio, mas a informação não pôde ser confirmada por fontes oficiais.

O presidente do Conselho Nacional de Transição, símbolo da oposição, Mustafa Mohammed Abdul Jalil, disse que o movimento será encerrado assim que Khadafi renunciar. Ao mencionar a captura de Islam, Jalil disse que ele é mantido “em um local seguro até que seja entregue ao Judiciário”.

Em mensagem de áudio, transmitida ontem à noite, Khadafi exortou moradores da capital a “salvar Trípoli” dos rebeldes. “Como vocês podem permitir que Trípoli, a capital, esteja sob ocupação outra vez?”, perguntou ele. “Os traidores estão abrindo caminho para que forças de ocupação sejam mobilizadas em Trípoli”.

O ministro da Informação líbio, Moussa Ibrahim, disse à rede de TV CNN que o governo de Khadafi ainda tem 65 mil soldados sob seu comando. Mas há informações que algumas forças se renderam aos rebeldes incluindo o batalhão especial encarregado de garantir a segurança de Trípoli.

Ibrahim acusou a Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) de apoiar “gangues armadas” com poderio aéreo. Segundo ele, o regime de Khadafi está preparado para negociar diretamente com o conselho rebelde