Geral

Fazendeiro é multado em R$ 30 mil por degradação de mata ciliar

A Polícia Militar Ambiental (PMA) de Deodápolis autuou Paulo Cardim, 60, em R$ 30.000 por erosão e degradação de matas ciliares, nascentes de córregos e várzeas na Fazenda Guarapuava, de sua propriedade. As erosões surgiram por falta de conservação do solo agravado pelo pisoteio do gado, que era criado dentro das áreas de preservação permanente, […]

Arquivo Publicado em 08/02/2011, às 12h16

None

A Polícia Militar Ambiental (PMA) de Deodápolis autuou Paulo Cardim, 60, em R$ 30.000 por erosão e degradação de matas ciliares, nascentes de córregos e várzeas na Fazenda Guarapuava, de sua propriedade.

As erosões surgiram por falta de conservação do solo agravado pelo pisoteio do gado, que era criado dentro das áreas de preservação permanente, que, segundo a PMA com grande descaso por parte do fazendeiro com as áreas protegidas.

A área foi interditada para proteção e recuperação, com proibição de atividades agrícolas e pecuárias. Duzentas cabeças de gado foram apreendidas e ordenadas à retirada das áreas afetadas.

Ele também foi notificado a apresentar projeto de recuperação de área degradada (PRAD) junto aos órgãos ambientais, no prazo máximo de 60 dias. Ele responderá por crime ambiental de alterar e destruir áreas de preservação permanente, podendo pegar pena de um a três anos de detenção.

A PMA lembra aos produtores rurais que a recuperação de áreas degradadas pode ser iniciada voluntariamente, desde que acompanhada por responsável técnico e comunicada ao órgão de meio ambiente.

Jornal Midiamax