As Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) asseguraram que estão dispostas a dar imediatamente os passos que forem necessários para um processo de paz no país.

A iniciativa é contemplada como uma resposta “aos apelos para se buscar uma saída diferente para a guerra e perante a disposição expressada pelo senhor presidente (Juan Manuel Santos) para explorar esse caminho”, segundo afirma o grupo guerrilheiro em mensagem divulgada neste sábado no porto fluvial petroleiro de Barrancabermeja, no nordeste da Colômbia.

As Farc destacaram sua postura propícia ao diálogo em uma saudação ao chamado Encontro Nacional de Comunidades Camponesas, Afrodescendentes e Indígenas pela Terra e pela Paz da Colômbia. A reunião, que continuará até o dia 15, reúne milhares de pessoas e responde à convocação cursada por meia centena de organizações sociais e não-governamentais.

“O diálogo terá como única condição a firme disposição de encontrar os caminhos que nos permitam criar o ambiente para as profundas reformas econômicas, sociais e políticas que garantam a paz com justiça social, com todos os setores representativos do povo colombiano e a comunidade internacional disposta a nos acompanhar”, acrescentaram os insurgentes.

As Farc, em armas desde 1964, defenderam que foram várias as ocasiões nas quais abriram “cenários de diálogo” com diferentes governos. Mas lamentaram que o governo tenha como único objetivo “ganhar tempo para recompor a estratégia dos planos de guerra, prolongando a existência do conflito social e armado com todas suas calamidades”.