Geral

Famílias do Lar Para Todos “acampam” em frente à Sanesul em Corumbá

Grupo de moradores do Loteamento Lar Para Todos, na parte alta da cidade, praticamente acampou em frente à Sanesul na manhã desta quarta-feira (16|). Eles cobram posicionamento da empresa de abastecimento sobre as obras, de implantação das redes de água e esgoto, nas casas construídas pela Prefeitura de Corumbá com recursos do Governo Federal, através […]

Arquivo Publicado em 16/11/2011, às 14h06

None

Grupo de moradores do Loteamento Lar Para Todos, na parte alta da cidade, praticamente acampou em frente à Sanesul na manhã desta quarta-feira (16|). Eles cobram posicionamento da empresa de abastecimento sobre as obras, de implantação das redes de água e esgoto, nas casas construídas pela Prefeitura de Corumbá com recursos do Governo Federal, através do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento). Cerca de 30 famílias do Loteamento aguardam a remoção para os imóveis.


As unidades habitacionais ainda não foram entregues pelo Município porque esperam a conclusão pela Sanesul. Atualmente, as famílias estão instaladas em um local com condições precárias de vida e numa área de risco. O Loteamento fica próximo a uma região de morraria. Os moradores residem em barracos e vivem a indefinição de quando terão condições de mudança para os imóveis.


Representantes das famílias do Lar Para Todos se reuniram com o gerente regional da Sanesul, Sérgio Philbois. “O gerente regional da Sanesul nos passou que até o final de semana vai nos dar uma resposta sobre a liberação, de pelo menos uma quadra. Mas, decidimos que queremos uma resposta agora”, disse o coordenador-executivo do MNLM (Movimento Nacional da Luta Pela Moradia) em Corumbá, Iracemi Pereira da Cruz, ao informar que os moradores vão permanecer de vigília na porta da Sanesul.


A este Diário, Sérgio Philbois confirmou que a Sanesul segue executando os serviços de implantação das redes de água e esgoto. Ele esclareceu que busca, junto ao setor de obras da empresa, uma resposta definitiva sobre a questão. “As obras estão em andamento naquela região e estou buscando a resposta junto à administração da Sanesul para poder dar um retorno de quando teremos condições de fazer e liberar essas ligações, dos lotes solicitados pela Prefeitura. Não posso afirmar que sim ou que não, justamente estou buscando com o pessoal da obras essa confirmação. Estando prontas, vamos liberar, não estando, busco saber quando vamos liberar para darmos uma resposta adequada à questão”, afirmou o gerente local complementando que o “todo” das obras para melhoria do serviço de abastecimento de água na cidade “termina no final do ano que vem”.


Na semana passada, o secretário Municipal de Infraestrutura, Ricardo Ametlla, confirmou que o Executivo reiterou o pedido de entrega das redes das 526 casas do PAC-Casa Nova. “Preocupado com a proximidade das chuvas do início do ano, o prefeito Ruiter Cunha determinou que reiterássemos o pedido à Sanesul e tivéssemos atenção especial com aqueles que ainda estão em áreas de risco para que não sofram danos, como os ocorridos no começo deste ano com as chuvas. Pedimos todas as 526 unidades e em especial esses 60 lotes pelo risco”, disse.


Dezembro do ano passado
As primeiras 272 unidades habitacionais do PAC-Casa Nova foram entregues no dia 22 de dezembro de 2010, para 171 famílias do Cravo Vermelho III; 15 do antigo prédio da Alfândega; 17 do Morro do Cruzeiro II; nove do Cravo Vermelho I (antigo lixão) e 60 do Loteamento Pantanal Lar para Todos. Todas as casas contam com as redes de distribuição de água e de coleta de esgoto passando à porta.


No local das casas, foram implantados 800 metros de galerias de água pluvial, e 45,8 mil metros quadrados de pavimentação asfáltica (aproximadamente 28 quadras), em fase de conclusão. O novo conjunto foi construído em uma área equivalente a 13 quadras. Cada quadra conta com 68 casas, com ruas (alamedas) pavimentadas, além de uma área verde no centro, para atender a comunidade local. Quatro lotes ficaram vazios e destinados ao comércio.


Com investimento de R$ 28.525.000, sendo R$ 24.246.250 da União, repassados pelo Ministério das Cidades, e outros R$ 4.278.750 de contrapartida municipal, o novo conjunto é composto de 800 moradias. Dessas, 561 já estão concluídas e outras 178 encontram-se em fase de conclusão.


O PAC-Casa Nova é um amplo projeto que, além das 800 unidades habitacionais, dotou o conjunto de uma série de equipamentos urbanos, como um CRAS (Centro de Referência de Assistência Social), praça de esporte e lazer, além de uma pré-escola e creche, uma Unidade Básica de Saúde da Família. Foi implantado para atender famílias corumbaenses do Cravo Vermelho III, conjunto Tiradentes, Loteamento Pantanal, Lar para Todos, Generoso, Cervejaria e Beira Rio, que vivem em condições precárias, inclusive nas áreas de riscos, como nas encostas das regiões de morraria.

Jornal Midiamax