Geral

Estudantes da UFMS protestam contra possibilidade de fechar curso em Naviraí

Novo protesto no ensino superior marca a manhã desta quinta-feira (22). Mais de 30 acadêmicos de Ciências Sociais, de Naviraí, com apoio de estudantes de outros cursos da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul), realizam uma manifestação em frente à Reitoria da Universidade, na capital. Portando faixas e cartazes, os universitários reclamam da […]

Arquivo Publicado em 22/09/2011, às 15h10

None
633411562.jpg

Novo protesto no ensino superior marca a manhã desta quinta-feira (22). Mais de 30 acadêmicos de Ciências Sociais, de Naviraí, com apoio de estudantes de outros cursos da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul), realizam uma manifestação em frente à Reitoria da Universidade, na capital.

Portando faixas e cartazes, os universitários reclamam da possibilidade do fechamento do curso de Ciências Sociais na unidade de Naviraí. Já foram realizadas duas votações sobre o polêmico assunto. “Na primeira ocasião, houve empate em 9 a 9 (entre fechar e continuar o curso). Num segundo momento, foram 14 a 10, contra o fechamento do curso em Naviraí”, comentou Rosilene Silva dos Santos, de 39 anos, que é estudante de Ciências Sociais.

Um grupo de estudantes de pedagogia de Naviraí engrossa o coro e ajuda nos protestos. “Viemos apoiar nossos colegas pra não acabarem com o curso de Ciências Sociais. Mas nossa preocupação é que futuramente também queiram fechar a Pedagogia”, disse Lourdes Braga, 42, estudante do segundo semestre de Pedagogia.

Na unidade da UFMS em Naviraí são apenas dois cursos em andamento, justamente Pedagogia e Ciências Sociais. Em meio às discussões, nesta quinta-feira cogitou-se ainda a criação de novos cursos naquela cidade, como Serviço Social e Sistema de Informações. Por outro lado, um abaixo assinado com mais de 300 assinaturas foi realizado pelos alunos e professores, contra o fechamento de Ciências Sociais, em Naviraí.

“Em vez de acabar com o curso, por que não investem mais na qualidade do ensino nas Universidades Federais?”, questiona Eduardo Reis, de 21 anos, estudante de Educação Física, que é de Campo Grande. Ele comentou que, no Estádio Morenão, em Campo Grande, por exemplo, ao dar aula para uma turma de crianças, já encontrou vários cacos de vidros no campo. “Isso é fruto do desleixo que vem dos eventos que são realizados no estádio”, disse.

Neste momento, professores, acadêmicos, representantes e técnicos de administração da UFMS estão reunidos para debater o6. dilema. A assessoria da UFMS informou que irá se posicionar logo após o encontro.

Enquanto isso, continuam os protestos. “Antes de fecharem nossos cursos, eles têm que pensar na qualidade, em mudanças, em melhorias no ensino superior”, desabafou Ingrid Silva do Amaral, aluna de Ciências Sociais, também de Naviraí.


Conclusão


De acordo com a Assessoria de Comunicação da UFMS, no decorrer do protesto houve reunião que acabou por volta das 17h20, e ficou definido que haverá seleção por meio do Enem e Sisu para o Curso de Ciencias Sociais em Naviraí.


(matéria editada 17h30 com colaboração da Mariana Anunciação para acréscimo de informações)

Jornal Midiamax