Geral

Em MS, 75 aposentados movem ações contra governo federal por revisão do salário

Aqui em Mato Grosso do Sul ao menos 90 mil pessoas recebem aposentadoria pelo INSS; destes, 75% ganham um salário mínimo

Arquivo Publicado em 28/01/2011, às 18h21

None

Aqui em Mato Grosso do Sul ao menos 90 mil pessoas recebem aposentadoria pelo INSS; destes, 75% ganham um salário mínimo

Mesmo com o novo valor do salário mínimo brasileiro confirmado de R$ 545 a partir de fevereiro, os aposentados de Mato Grosso do Sul ainda lutam por uma revisão no valor da aposentadoria e um possível aumento financeiro.

Segundo o presidente do Sindicato dos Aposentados, Pensionistas e Idosos de MS (Sindnapi/MS), Jânio Batista de Macedo, são 190 mil aposentados no Estado, destes, 75% recebem até um salário mínimo.

Com a consolidação do sindicato em Campo Grande e nos municípios, cada vez mais os aposentados lutam por uma revisão de aposentadoria e contra o fator previdenciário.

Todo aposentado têm direito de fazer um pedido administrativo interno de revisão na Previdência Social, com prazo de 30 dias para resultado com o parecer, dizendo se é possível ou não a revisão salarial.

No Estado, já são 75 ações de aposentados contra o Governo Federal, feitas através do Sindnapi/MS, com pedidos de revisão de aposentadoria e contra o fator previdenciário.

A economista Isabela Fernandes explica que o fator previdenciário é um cálculo que relaciona a idade de aposentadoria, o tempo de contribuição e a expectativa de sobrevida no momento da aposentadoria. Esse fator é desfavorável para o idoso, pois há redução do valor da aposentadoria no momento da concessão do benefício.

Ao invés de fazer um cálculo que considere a contribuição, que seria o mais justo, a previdência social considera na conta a idade e a expectativa de vida e consequentemente reduz o valor da aposentadoria.

Contribuintes

Aposentado há 10 anos, Urbano de Jesus, 70, recebe um salário mínimo referente à sua aposentadoria. Durante 46 anos trabalhou como funcionário público e contribuiu para a previdência social.

Urbano acrescenta que não conhece seu direito de pedir revisão do valor da aposentaria, mas vai procurar o sindicato para se informar sobre o assunto, pois acredita que o valor que recebe hoje é inferior ao que contribuiu durante sua vida.

Já o aposentado Paulo Ferreira Soares, 58 anos, luta na justiça desde o ano passado, contra o valor previdenciário. Ele diz que contribuiu com a Previdência Social durante 36 anos e após aposentar recebe apenas 30% do que contribuiu.

Paulo é aposentado há três anos e recebe o valor referente a cinco salários mínimos. Ele entrou com processo no Governo Federal para que seja refeito o cálculo da previdência. “Quero receber o que eu paguei durante toda a minha vida”, destaca.

Jornal Midiamax