Geral

Dólar opera em baixa no último pregão de janeiro

O dólar comercial opera em queda nesta manhã de segunda-feira (31). Perto das 9h30, a moeda estava cotada a R$ 1,673 na venda, declínio de 0,71%. Na sexta-feira, o dólar comercial encerrou o pregão com valorização de 0,35%, cotado a R$ 1,683 na compra e a R$ 1,685 na venda. No acumulado da semana, a […]

Arquivo Publicado em 31/01/2011, às 14h34

None

O dólar comercial opera em queda nesta manhã de segunda-feira (31). Perto das 9h30, a moeda estava cotada a R$ 1,673 na venda, declínio de 0,71%.


Na sexta-feira, o dólar comercial encerrou o pregão com valorização de 0,35%, cotado a R$ 1,683 na compra e a R$ 1,685 na venda. No acumulado da semana, a moeda subiu 0,7%.


A semana que se inicia, que marca o começo do mês de fevereiro, conta com uma série de indicadores americanos, em que o destaque está com o dado da taxa de desemprego de janeiro, na sexta-feira. Já no Brasil, o mercado deve dar maior atenção aos números da produção industrial, que saem na quarta, e ao início da temporada de balanços.


Nesta segunda-feira, Bradesco e Totvs divulgam seus resultados do trimestre final de 2010. Também é aguardado o balanço do banco Panamericano, porém referente ao terceiro trimestre do ano passado.


Ainda no cenário local, hoje a Fundação Getulio Vargas (FGV) divulgou a Sondagem Conjuntural da Indústria de Transformação, de janeiro. O levantamento mostrou que a confiança da indústria recuou em janeiro.  Já o Banco Central apresentou o tradicional boletim Focus, com as expectativas do mercado, que prevê mais inflação e juros para este ano.


A Confederação Nacional da Indústria (CNI) ainda apresenta a Sondagem da Construção Civil do último mês de 2010.


Já nos Estados Unidos, as atenções se voltam aos indicadores de renda e gastos pessoais, aos números de atividade industrial da região de Dallas e ao Índice Gerente de Compras de Chicago. Ainda nesta segunda-feira, porém apenas à noite, a China mostra os dados da indústria deste mês.


Amanhã, o foco no Brasil está no Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) da FGV e na balança comercial, ambos de janeiro. Já no cenário americano, saem dados de desempenho da indústria e de gastos com construção, enquanto, na Europa, será divulgada a taxa de desemprego da zona do euro de dezembro.


Na quarta-feira, por aqui, além da produção industrial, a atenção se volta ao IPC da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) deste mês. No front externo, a Europa mostra números de inflação, os Estados Unidos, de emprego, e a China, da atividade do setor de serviços.


Na quinta-feira, a agenda se volta ao exterior, com indicadores americanos de pedidos semanais de seguro-desemprego, de produtividade e encomendas à indústria. Na Europa, o Banco Central Europeu (BCU) se reúne e ainda saem os números de vendas no varejo da região.


Para fechar a semana, a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) informa o desempenho da indústria automotiva na abertura de 2011.


No plano corporativo internacional, ao longo dos próximos dias, saem os balanços de empresas como ExxonMobil , Banco Santander, Honda, Pfizer, AOL, Mattel, Panasonic, Time Warner, Visa, Whirlpool, Deutsche Bank, Moody’s, Sony, Unilever, Toyota e Tyson Foods.


Já no Brasil, o início da safra de resultados do quarto trimestre de 2010 conta com os números da Localiza, Redecard, BR Properties e Tractebel.

Jornal Midiamax