Depois de oito anos em funcionamento, os dois centros de educação infantil mantidos pelo Centro Social Dom Bosco vão perde no final deste ano cerca de 60% dos recursos destinados à entidade.

Muitas mães deixam de cuidar da própria casa e dos filhos, diariamente, para cuidar de outros lares e, por necessidade, muitas crianças vão parar nas creches. Pensando nesse problema o Centro Social Dom Bosco fundou dois centros de educação infantil em 2003. Mas, no fim deste ano, a entidade vai perder  cerca de 60% dos recursos a ela destinados. 
Isso porque o dinheiro que recebe do Fundeb (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação) será cortado para a Ong, que, para manter o financiamento, deverá atender apenas crianças até os 3 anos e 11 meses nas creches. 
Para a coordenadora do centro e diretora das creches, Ebbi Golin, a decisão só prejudica a entidade. “Nossa intenção é manter as crianças até os cinco anos de idade, porque na escola ela fica somente meio período. Quem vai buscar quando acabar a aula? Como essa criança vai atravessar a rua sozinha?”, questiona.
As duas creches do centro social atendem 145 meninos e meninas de 4 meses a cinco anos. Muitos são irmãos e os pais trabalham por perto. Com o corte dos recursos, 70 crianças deixarão de ser atendidas. “A gente queria ampliar o atendimento às mães e não cortar. A criança sai da creche alimentada e banhada, isso não acontece nas escolas”, lamenta a diretora.
Para tentar manter as crianças no lugar, o centro social está disposto a perder o recurso do Fundeb, mas precisa de doações para repor esse dinheiro. “Atualmente nós temos cerca de 150 doadores fixos, que correspondem a 40% da renda do centro. Precisamos de pessoas que colaborem de forma constante, para que tenhamos autonomia financeira”, diz a coordenadora.
Atendimento
A creche possui duas sedes na Rua São Paulo, bairro Vila Célia, em Campo Grande. As crianças de 3 a 5 anos ficam na Unidade I e recebem atendimento diferenciado, com mais atividades em salas de aula e exercícios lúdicos.
Na Unidade II, são recebidas crianças de 4 meses a 3 anos, que representam a maior parte das crianças das creches, cerca de 80. Atualmente, existe uma fila com 200 crianças esperando por vaga. A maior delas é no berçário, onde existem somente 24 vagas, por demandar maior número de funcionários e de atenção.
Além das creches, o centro social tem 6 cursos de capacitação profissional que educa   pais e irmãos das crianças, uma escolinha de esportes com 80 alunos, um balcão de empregos e doações de roupas de frio e cestas básicas, atendendo cerca de 1.000 pessoas ao todo.
“Iluminando Vidas”
Uma medida que o Centro Social Dom Bosco encontrou para aumentar as arrecadações foi a parceria feita com a Eletrosul, que recebe doações pela conta de energia. Caso queira colaborar, a pessoa deve acessar o site WWW.csdb.org.br e preencher uma ficha com os dados. É preciso ter a assinatura do doador, que pode ser buscada em casa por uma equipe da entidade.