Geral

Confrontos entre muçulmanos e coptas no Egito deixam dez mortos

Dez pessoas morreram e 144 ficaram feridas – várias delas em estado grave – em um confronto armado registrado na noite deste sábado (7) entre cristãos coptas e muçulmanos no bairro de Imbaba, subúrbio do Cairo, capital do Egito, informou a polícia local. O incidente aconteceu quando grupos muçulmanos atacaram a igreja de Mar Mina, […]

Arquivo Publicado em 08/05/2011, às 11h05

None

Dez pessoas morreram e 144 ficaram feridas – várias delas em estado grave – em um confronto armado registrado na noite deste sábado (7) entre cristãos coptas e muçulmanos no bairro de Imbaba, subúrbio do Cairo, capital do Egito, informou a polícia local.

O incidente aconteceu quando grupos muçulmanos atacaram a igreja de Mar Mina, por acreditarem que os cristãos mantinham presa ali uma mulher que tinha se convertido ao Islã para se casar com um jovem dessa fé.

Segundo a agência estatal “Mena”, médicos disseram que o número de mortos subiu depois que três pessoas em estado grave morreram após serem levadas a hospitais.

Em entrevista à televisão, o governador da província de Giza, que inclui setores da Grande Cairo e onde está localizdo o bairro de Imbaba, Ali Abdel Rahman, disse que o Exército e a polícia tinham conseguido acalmar a egião dos confrontos.

Os muçulmanos agressores pertencem à corrente dos salafistas, uma das mais rigorosas do Islã e que a cada dia está ganhando mais terreno no Egito.

Os cristãos egípcios, majoritariamente coptas, representam cerca de 10% da população do país.

Periodicamente há incidentes armados entre cristãos e muçulmanos no Egito por razões religiosas, especialmente no sul do país.

Corte militar

O Exército do Egito, que interinamente governa o país após a queda do ditador Hosni Mubarak, disse que 190 pessoas iriam ser julgadas por um tribunal militar após os confrontos.

Jornal Midiamax