Geral

Com muitas faltas e dois ‘frangos’, Comercial e Operário empatam em 2 a 2 no Morenão

Jogo duro, corrido e com muitas emoções: esse foi o primeiro Comerário de 2011, realizado neste sábado (12). Operário, vindo da Série B, apresentou um time novo e rápido, por outro lado o Comercial confiou na experiência e entrosamento de seus jogadores. O placar ficou em 2 a 2. No primeiro tempo, os gols foram […]

Arquivo Publicado em 13/03/2011, às 01h17

None

Jogo duro, corrido e com muitas emoções: esse foi o primeiro Comerário de 2011, realizado neste sábado (12). Operário, vindo da Série B, apresentou um time novo e rápido, por outro lado o Comercial confiou na experiência e entrosamento de seus jogadores.


O placar ficou em 2 a 2. No primeiro tempo, os gols foram de Guilherme, de bico na saída do goleiro Aldo, já no fim do primeiro tempo e, logo depois, Rafinha empatou de cabeça.


Já o segundo tempo foi marcado por dois frangaços, um de cada goleiro. Primeiro Aldo aceitou chute fácil de Luis Gustavo e deixou o Operário fazer 2 a 1. Mas, aos 38 da segunda etapa, foi a vez de Diego errar: o arqueiro se atrapalhou com a bola e colocou a pelota dentro das redes.


Na próxima rodada o Operário enfrenta o Cene, e o Comercial pega o Maracaju.


Em outros jogos da rodada o Corumbaense fez 2 a 1 no Águia Negra e o Sete de Setembro empatou em  3 a 3 com o Itaporã.


O jogo


A zaga do Comercial começou o jogo desatenta e antes dos 10 minutos o Operário teve duas chances claras de gol, parando em boas defesas do goleiro Aldo. Na segunda defesa, o goleiro levou uma pancada na testa e precisou ser atendido, mas não passou de um susto e o arqueiro continuou no jogo.


Depois do nervosismo inicial, o Comercial acordou e o jogo ficou mais equilibrado, com os dois times buscando o ataque. Mas foi o galo que continuou sendo mais incisivo no ataque. Com um time mais jovem, o Operário corria muito em campo.


Além da correria, o primeiro tempo foi muito duro. Os médicos e massagistas tiveram que trabalhar bastante com tantos jogadores levando pancadas e saindo para atendimento. E o número de cartões refletiu o que foi o jogo: cinco amarelos foram distribuídos na primeira etapa.


Ainda durante o primeiro tempo Tainha, ídolo do Comercial e atual auxiliar técnico do time, reclamou muito de sua defesa, alegando que os meias do galo estavam tendo muito espaço para criar jogadas.


Próximo ao fim do primeiro tempo o Galo abriu o marcador e fez 1 a 0 com Guilherme, de bico na saída do goleiro Aldo. O jogador não perdoou e fez o primeiro depois de receber bom passe dentro da grande área.


De cabeça Rafinha empatou o jogo logo na saída de bola e não deixou o Operário nem comemorar o gol. Rafinha recebeu toque, também de cabeça, de Tiago Martins e deixou o seu no placar do Morenão. Os jogadores do Galo reclamaram muito da posição de Tiago Martins, que estaria impedido na hora do passe. E esse foi o placar da primeira etapa, 1 a 1 no Comerário.


Segundo tempo


Com atraso de quase 10 minutos teve reinício o Comerário do Estádio Morenão, e com a mesma correria do primeiro tempo.


Dureza. Essa é a palavra que define todo o jogo todo, com quantidade imensa de faltas, muitas delas duras, cartões sendo distribuídos e jogadores sendo atendidos.


E aos 22 da etapa final apareceu um frango no Morenão. Chute de Luis Gustavo, do Operário, de fora da área e Aldo aceitou. Na dúvida entre espalmar e segurar, o goleiro acabou espalmando para dentro do gol. Luis chutou forte da intermediária, mas Aldo falhou no tempo e aceitou um arremate defensável. 2 a 1 para o Operário, para delírio das arquibancadas.


O Galo continuou mais agressivo e tendo mais chances de gol. O Comercial não desistiu e ameaçava o Operário em contra-ataques, passando sempre pelos pés de Memé, o mais participativo jogador do time neste sábado.


Já depois dos 30 minutos o Comercial foi atrás do empate. O Galo passou a se segurar mais e não atacar tanto, e o Saci veio pra cima. Com chutões e faltas o Operário foi se livrando da bola, e o segundo lance passou a ser domínio do Comercial.


E o Operário acabou punido com a retranca. Em mais um frango no jogo, aos 38 minutos, Diego aceitou uma bola fácil e cedeu o empate para o Comercial. 2 a 2 no placar.


O Operário ainda tentou reagir, avançando suas linhas de marcação, mas não adiantou: o jogo terminou mesmo empatado na noite deste sábado no Estádio Pedro Pedrossian.

Jornal Midiamax