Geral

Com Microsoft, Nokia quer derrotar Google e Android, diz presidente

O presidente da Nokia, Stephen Elop, afirmou neste domingo (13) que o primeiro objetivo da empresa com o anúncio da parceira com a Microsoft é derrotar o Android, sistema operacional do Google que se tornou líder no mercado de smartphones. A parceria, que consiste na adoção do sistema operacional Windows Phone 7 pela Nokia, foi […]

Arquivo Publicado em 13/02/2011, às 19h47

None

O presidente da Nokia, Stephen Elop, afirmou neste domingo (13) que o primeiro objetivo da empresa com o anúncio da parceira com a Microsoft é derrotar o Android, sistema operacional do Google que se tornou líder no mercado de smartphones. A parceria, que consiste na adoção do sistema operacional Windows Phone 7 pela Nokia, foi anunciada oficialmente na sexta-feira (11).


Durante apresentação na véspera da abertura do Mobile World Congress, evento de tecnologia móvel em Barcelona, Elop, ex-funcionário da Microsoft, afirmou que a empresa americana vai investir “bilhões de dólares” na fabricante finlandesa de celulares.


“O valor transferido para a Nokia se mede em ‘Bs’, e não em ‘Ms’. Nós, da Nokia, vamos contribuir para a Microsoft com tecnologia, principalmente em serviços de localização. Mas vamos receber um aporte monetário substancial”, afirmou Elop. Na sexta-feira, as ações da fabricante despencaram por conta da percepção de analistas de que o acordo seria mais interessante – e lucrativo – para a Microsoft do que para a Nokia.


Embora a Nokia vá pagar pela licença de uso do software da Microsoft, a empresa vai ter, segundo Elop “reduções significativas” em custos operacionais. Uma parcela considerável dos funcionários que atuam no desenvolvimento de softwares deverá ser demitida.


A Nokia vai lucrar também ao receber uma parcela da receita de publicidade gerada pelo buscador Bing, integrado ao ecossistema do Windows Phone. “A Nokia fez uma aposta estratégica bastante importante na Microsoft, e a Microsoft fez uma aposta igual na Nokia. E por isso vamos obter sucesso juntos”, afirmou Elop.


Durante a apresentação, Elop ouviu, de um espectador, a acusação de que ele seria um “cavalo de tróia” colocado pela Microsoft na Nokia. “Não, não sou”, respondeu. “Toda a equipe de gestão participou desta escolha, e obviamente apenas o conselho de administração pode tomar a decisão definitiva”.

Jornal Midiamax