Geral

Chapadão envia moção de repúdio a autor de Insensato Coração

Vereadores da Câmara Municipal de Chapadão do Sul encaminharam Moção de Repúdio a Rede Globo de Comunicação, direcionada ao autor da novela, Insensato Coração, Gilberto Braga, devido ao capitulo da trama entre Luciana Alencar (Fernanda Machado) e Pedro Brandão (Eriberto Leão) na qual dialogam erroneamente que a cidade de Bonito fica em Mato Grosso e […]

Arquivo Publicado em 31/01/2011, às 11h48

None

Vereadores da Câmara Municipal de Chapadão do Sul encaminharam Moção de Repúdio a Rede Globo de Comunicação, direcionada ao autor da novela, Insensato Coração, Gilberto Braga, devido ao capitulo da trama entre Luciana Alencar (Fernanda Machado) e Pedro Brandão (Eriberto Leão) na qual dialogam erroneamente que a cidade de Bonito fica em Mato Grosso e não em Mato Grosso do Sul.

Em relação ao capítulo que foi ao ar na sexta-feira (21), de acordo com a Câmara “seria normal e atraente para os telespectadores regionais se não fosse um erro de geografia crasso para quem reside em Mato Grosso do Sul”.

Segue abaixo, trecho da nota

Os sul mato-grossense se revoltam com a ignorância “geográfica” das pessoas e pelo “esquecimento” do nosso estado perante ao resto do Brasil. Quando turistas vem conhecer Mato Grosso do Sul se admiram com a beleza e progresso do estado, pudera, pois a imagem que se tem daqui é de que só existem índios, onças, pernilongos e tráfico de drogas.

O Mato Grosso do Sul existe desde 1977, quando o Governo Federal decretou a divisão do estado, alegando dificuldade em desenvolver a região diante da grande extensão e diversidade.

Em cerimônia realizada no Palácio do Planalto em 11 de outubro de 1977, com a presença de autoridades de Mato Grosso e de numerosa comitiva de Mato Grosso do Sul, o presidente Ernesto Geisel sancionou a lei complementar que criava um novo Estado.

E em 1° de janeiro de 1979, em sessão solene, o presidente Geisel e seus ministros instalam oficialmente o governo de Mato Grosso do Sul, com a posse do governador Harim Amorim Costa.

A moção foi enviada também a UCVMS, União das Câmaras de Vereadores de Mato Grosso do Sul.

Jornal Midiamax