Na véspera da final do Mundial Sub-20, o presidente da Fifa, Joseph Blatter, colocou-se à disposição para responder perguntas sobre tudo o que envolvia a competição. Mas teve de falar sobre uma das maiores preocupações brasileiras: a Copa do Mundo de 2014. Amistoso e sem alimentar qualquer polêmica, o mandatário afirmou não se preocupar com os atrasos de obras, especialmente no Rio de Janeiro e em São Paulo.

– Definitivamente, não temos dúvidas sobre a realização desta competição em um grande país, quase um continente, que é o Brasil. Claro que ainda temos alguns problemas, como sempre acontecem a dois, três anos de uma Copa, mas tudo vai ficar pronto a tempo. É um país futebolístico e será um grande sucesso no mundo inteiro. A questão de Rio ou São Paulo para abertura e encerramento é algo que continuará sendo discutido nas próximas semanas. Mas no mês de outubro tudo será resolvido – disse Blatter.

O suíço comparou ainda a situação com a África do Sul, que sediou o Mundial de 2010 sem muitos problemas. Tudo faz parte de seu ciclo de confiança.

– Exatamente há quatro anos a mídia internacional também apresentou as mesmas inquietações sobre a realização da Copa na África. Isso se repete sempre, que o país não vai estar preparado, mas é tudo questão de confiança. E nós confiamos totalmente no Brasil, em seu governo, na atual presidente, no antigo, na organização futebolística, nos governadores, prefeitos… Cada um deles quer um estádio, um aeroporto, estradas decentes. Nós ainda temos tempo, e essa confiança é recíproca – afirmou.

No sábado, às 22h (de Brasília), no Estádio El Campín, em Bogotá, Brasil e Portugal vão reeditar a final de 1991. A decisão não é de boa recordação para os brasileiros. Os portugueses, que contavam com Luis Figo, venceram nos pênaltis e foram campeões pela segunda vez. A Seleção tem quatro titulos e busca o penta na Colômbia.