Geral

Bento XVI anuncia ‘ano da fé’ a partir de outubro de 2012

O papa Bento XVI anunciou neste domingo que decidiu decretar “um ano da fé” a partir de 11 de outubro de 2012, coincidindo com o 50º aniversário do Concílio Vaticano II (1962/1965). Ao falar diante de 8.000 prelados e laicos comprometidos com a “Nova Evangelização” durante uma homilia na Basílica de São Pedro, Bento XVI […]

Arquivo Publicado em 16/10/2011, às 17h24

None

O papa Bento XVI anunciou neste domingo que decidiu decretar “um ano da fé” a partir de 11 de outubro de 2012, coincidindo com o 50º aniversário do Concílio Vaticano II (1962/1965).


Ao falar diante de 8.000 prelados e laicos comprometidos com a “Nova Evangelização” durante uma homilia na Basílica de São Pedro, Bento XVI confirmou essa iniciativa sobre a qual há algum tempo circulam rumores no Vaticano, em um momento em que as sociedades ocidentais se afastam dos valores cristãos.


“Precisamente para dar um impulso renovado à missão da Igreja de conduzir o homem para fora do deserto no qual se encontra com destino à vida, para a amizade com Cristo que nos dá essa vida em plenitude, gostaria de anunciar que decidi decretar o Ano da Fé”, declarou o Papa.


Ese ano “começará em 11 de outubro de 2012, no 50º aniversário do Concílio Vaticano II, e será concluído em 24 de novembro de 2013, durante a solenidade de Cristo Rei do Universo”, informou.


“Será um momento de graça e de compromisso para uma conversão sempre mais completa a Deus, para reforçar nossa fé e anunciá-la com alegria aos homens de nosso tempo”, completou o Papa.


O Concílio, inaugurado pelo papa João XXIII, marcou a abertura da Igreja para o mundo e a modernidade, com o reconhecimento da liberdade religiosa e o respeito a outras crenças. Também renovou profundamente a liturgia e a teologia pastoral.


Depois desse Concílio, a Igreja se viu agitada por múltiplos movimentos reformistas e iniciativas, enquanto diminuía a prática religiosa e diversos sacerdotes abandonavam a batina, acentuando-se a divisão entre progressistas e conservadores.

Jornal Midiamax