Geral

Alex salva Corinthians da derrota para o Inter

Jogando pouco, e com um a menos, o Corinthians conseguiu arrancar um empate por 1 a 1 com o Inter, no Beira-Rio. Alex, ex-colorado, salvou a equipe do técnico Tite de um resultado pior. Mas o gol marcado de falta, aos 44 minutos do segundo tempo, não evita a queda da primeira colocação. Os paulistas […]

Arquivo Publicado em 23/10/2011, às 21h26

None

Jogando pouco, e com um a menos, o Corinthians conseguiu arrancar um empate por 1 a 1 com o Inter, no Beira-Rio. Alex, ex-colorado, salvou a equipe do técnico Tite de um resultado pior. Mas o gol marcado de falta, aos 44 minutos do segundo tempo, não evita a queda da primeira colocação. Os paulistas foram superados pelo Vasco, que chegou aos 57 pontos, depois de vencer o Bahia por 2 a 0.


Mas o herói corintiano da partida saiu de campo comemorando o resultado: “Um ponto aqui é sempre difícil de conquistar. Então, está bom”. Júlio César concordou com o parceiro. “O empate foi bom pelo que foi o jogo”, ressaltou o goleiro. Quando perguntado sobre os dois pontos que o Corinthians deixou de ganhar, o arqueiro respondeu: “Não perdemos dois, ganhamos um”.


Ao Internacional, ficou uma frustração sem tamanho. O time dirigido por Dorival Júnior abriu o placar com Nei, criou mais chances durante todo o tempo. Mas pecou e cedeu o resultado. Com o empate, o colorado fica no sétimo lugar – com 48 pontos, e ainda longe do G-5.


Com posse de bola e marcação adiantada, o Corinthians começou em cima, apertando o Inter. Mas mesmo assim, não criou uma chance viva de marcar. A resposta do colorado veio com a inversão dos meias Andrezinho e Oscar. O controle mudou de lado e o jogo, finalmente, ganhou finalizações.


Pouco a pouco o Inter foi aprimorando os chutes. Entre as tentativas erradas de Oscar e Andrezinho, Paulinho acertou uma cabeçada para o gol. Mas que parou fácil nas mãos de Muriel. Antes dos trinta minutos, Jô acumulou duas oportunidades para marcar. Na primeira, pegou mal e não assustou. Mas na segunda, Julio Cesar foi obrigado a defender, no chão.


A retomada corintiana não vinha, pelo contrário: o Inter se lançava mais para frente, inflamado pelo estádio lotado. Alex, de boa participação no início do confronto, caiu muito de produção. Liedson quase não foi acionado. E William era bem marcado.


Antes do intervalo, Andrezinho fez um corta luz para ele mesmo e bateu forte. A bola quase entrou no canto direito. O próprio meia sofreu uma entrada dura de Alessandro, aos 40 minutos. O lateral-direito foi expulso.


No vestiário, os técnicos pensaram bem diferente. Enquanto Tite sacou William para recompor a defesa com Weldinho, Dorival tirou Bolatti e lançou mão de João Paulo, abrindo ainda mais sua equipe.


Mesmo com um a mais, e com quatro atacantes, o Inter não conseguiu dominar o Corinthians por completo. Dava espaços para ser ameaçado, como aos nove minutos, quando Danilo ficou completamente livre e só não fez o gol por ter cabeceado fraco.


Então, Dorival Júnior mexeu mais uma vez. Oscar deu lugar para Ilsinho. Mas o camisa 15 nem fez tanta diferença para o colorado abrir o placar. O cruzamento de Kleber, da intermediária, encontrou Nei atrás da zaga. O lateral-direito mandou de cabeça, no canto direito.


Atrás do placar, Tite não alterou radicalmente sua equipe. Mas dentro de campo, Alex tentava comandar uma reação. O Inter apostava na bola parada para seguir levando perigo. E foi justamente neste quesito que o empate saiu. O camisa 12 aproveitou o lance em que D’Alessandro foi expulso para salvar o alvinegro em Porto Alegre.

Jornal Midiamax