Geral

Ação cívica leva vários atendimentos a moradores de Corumbá

Às oito horas da manhã deste sábado, 22 de outubro, a escola municipal Tilma Fernandes Veiga abriu suas portas para os moradores do bairro Cervejaria receberem diversas ações sociais realizadas pela 18ª Brigada de Infantaria de Fronteira. “O Exército tem o lema ‘Braço forte, mão Amiga’. Por isso, a corporação procura realizar diversas ações cívicas […]

Arquivo Publicado em 22/10/2011, às 23h49

None

Às oito horas da manhã deste sábado, 22 de outubro, a escola municipal Tilma Fernandes Veiga abriu suas portas para os moradores do bairro Cervejaria receberem diversas ações sociais realizadas pela 18ª Brigada de Infantaria de Fronteira.


“O Exército tem o lema ‘Braço forte, mão Amiga’. Por isso, a corporação procura realizar diversas ações cívicas e em muitas localidades. As ações sociais são muito comuns, independente das operações de campo. É o momento em que o Exército se vale de sua estrutura, de seu potencial, para estar ajudando a população. E para que esta ação fosse possível, contamos com uma rede de parceiros, como Secretaria de Educação de Corumbá, que nos autorizou a ocupar o espaço da escola Tilma Fernandes, assim como a diretoria da escola, e diversas instituições que auxiliaram nos atendimentos. O Exército veio à frente desta ação para levar um apoio à comunidade, e principalmente às crianças, que serão o futuro do país”, explicou o comandante da 18ª Brigada de Infantaria de Fronteira, general de brigada Carlos dos Santos Sardinha.


Para esta ação, foram empregados militares do Comando da 18ª Brigada de Infantaria de Fronteira e da Banda de Música do Exército de Corumbá. A ação social contou com a parceria de vários órgãos públicos como a Prefeitura Municipal, Corpo de Bombeiros, Guarda Municipal, Agetrat, Polícia Militar Ambiental e Defensoria Pública.


Os moradores do bairro receberam atendimentos médicos e odontológicos; orientações de como ingressar nas Forças Armadas; apresentação de música da Banda do Exército; oficinas de educação alimentar e ambiental; horta, maquiagem, orientações na área de educação de trânsito; orientações jurídicas, além de diversas brincadeiras para as crianças. As atividades foram realizadas até às 12 horas.


Participação


“O bairro Cervejaria é carente de atividades voltadas para a população. É muito bom quando recebemos orientações jurídicas, atendimentos odontológicos e médicos, é algo que muda a nossa rotina. Fiz hoje algo bem diferente, aprendi a me maquiar. Acredito que toda mulher deve sempre estar bonita, assim ela se sente mais valorizada. Só de passar uma base no meu rosto, meu dia ficou mais animado”, disse a moradora Izabel Hermocilha, 30 anos.


As crianças se esbaldaram com as brincadeiras, como a “torre de copos”. “Na minha escola houve uma competição de torre de copos, mas não consegui vencer. Eu ganhei o brinquedo de presente e jogo todos os dias em casa, mesmo assim eu quis brincar aqui hoje. É muito legal, pois estamos competindo e quem tiver o melhor tempo, ganha um prêmio. Só vou embora depois que acabar todas as atividades”, dizia a pequena Radija Fernandes Evangelista, 09 anos.


“Gratificante”. Assim definiu a sensação de participar de uma ação social a professora de maquiagem Carin Zuco. “Esta foi a primeira ação social que participo aqui em Corumbá. É muito bom você poder oferecer um dia diferente às pessoas, é melhor ainda auxiliar estas mulheres que já são belas, a se valorizar, a se produzir, a se sentirem mais femininas”, apontou.


Houve gente que aproveitou para resolver alguns problemas de saúde como foi o caso de Odilza de Lima, 44 anos. “Minha filha amanheceu gripada e vim trazê-la ao médico, da ação social, pois como hoje é sábado, o Posto de Saúde não fica aberto e o Pronto- Socorro é muito longe”, afirmou.


As crianças aproveitaram de todas as formas as oficinas oferecidas. Olhavam atentas à exposição de animais e não “desgrudavam” um minuto a atenção dos serviços oferecidos. Um prova de todo esse entusiasmo foram os irmãos Ingrid Aparecida Pereira, 12 anos e João Gabriel Pereira, 04 anos. “Eu e meu irmão participamos de várias oficinas; olhamos os animais empalhados, gostei muito do tamanduá e também participamos da oficina de desenhos. Em casa sempre fazemos isso, espalhamos várias folhas e ficamos horas desenhando, é muito bom”, disse a menina.

Jornal Midiamax