Impressionado com a perseguição da torcida do Fluminense, que chegou a ameaçá-lo nesta semana em um bar no Rio de Janeiro, o atacante Fred deixou em aberto seu destino no clube, mas disse que no momento sua vontade é ir embora.

“Estou conversando com a diretoria sobre o que aconteceu. Hoje minha idéia é sair”, resumiu o atacante. O jogador tem multa rescisória de 15 milhões de euros (R$ 34 mi) e contrato com o Fluminense até 2015. Nos bastidores do clube, a sua permanência não é considerada fundamental.

Pelo contrário: se houver uma boa proposta, a diretoria tricolor não vai se opor à saída do centroavante. Segundo Fred, essa não é a primeira vez que a torcida do Fluminense o persegue.

O jogador disse já ter sido abordado na porta de casa quando estava com a filha de 5 anos. “Os ‘caras’ foram na porta do meu prédio me cobrar e isso não posso aceitar. Preciso de segurança para viver tranquilo com minha família”, declarou Fred. Fred não atuará na partida deste domingo, contra o América-MGNeste sábado, do lado de fora do clube, vários PMs faziam segurança excepcionalmente por conta da entrevista do atacante Fred.

O jogador não atuará neste domingo, contra o América-MG. Fred se apresenta à Seleção Brasileira no domingo para o amistoso contra o Alemanha, na próxima quarta-feira.

O atacante deve ficar longe do Fluminense até que sua situação seja resolvida Alegando problemas psicológicos, o camisa 9 já não havia participado da vitória sobre o Inter por 2 a 0, dois dias após a nova confusão, quando Fred foi ameaçado por torcedores que o viram em um bar. Fred admite que, na ocasião – folga do elenco do Fluminense -, consumiu bebidas alcoólicas, mas que isso não interferiu em seus compromissos com o clube tricolor.

“Bebi, sim, três bebidas. Fiz tudo que fiz e treinei. Dou minha vida em campo e corro ‘pra caramba’. Nunca faltei de treino, sempre me dediquei e dei meu melhor pelo Fluminense”, desabafou Fred, que, porém, descartou transferir-se para outro clube brasileiro.

“Falaram que eu iria para Palmeiras, Cruzeiro e até Flamengo, mas se fizesse isso, seria um traidor. Se acontecer de eu sair do Fluminense, não irei para outro clube do Brasil”, disse