Geral

Vídeo mostra ex-marido de arquiteta ao comprar fósforos em conveniência

Imagens revelam o momento em que Luis de Andrade comprava fósforo e cigarro, depois, quando ele retornou a pé; foram 20 minutos que desmontam a versão de que ele estava em casa

Arquivo Publicado em 08/07/2010, às 13h57

None

Imagens revelam o momento em que Luis de Andrade comprava fósforo e cigarro, depois, quando ele retornou a pé; foram 20 minutos que desmontam a versão de que ele estava em casa

O Instituto Médico Legal liberou os restos mortais da arquiteta Eliane Aparecida Nogueira, 39, assassinada na sexta (2). O corpo foi encontrado carbonizado em uma das ruas do Tiradentes. Os legistas, através de exames, confirmaram que tratava-se da arquiteta.

Órgãos vitais como o coração e rim ficaram intactos. Marcas no pescoço sugerem que ela possa ter sido esganada pelo ex-marido, o empresário Luis Afonso de Andrade, 42, cuja versão de inocência parece ter caído por terra, segundo o delegado Welington de Oliveira.

Um vídeo mostra o momento em que o suspeito entrou em uma conveniência às 4h para comprar fósforo e cigarro. O comércio fica na Avenida Três Barras distante a quatro quilômetros de onde o corpo da arquiteta foi encontrado. As imagens gravaram o momento em que o ex-marido passou a pé e entrou na conveniência e depois, mostrou quando ele retornou. Foram cerca de 20 minutos.

“Ele premeditou colocar fogo e destruir as provas”, suspeita o delegado.

Andrade nega o crime e se mantém calado, direito previsto em lei.

À polícia, o ex-marido disse que esteve em uma festa, leilão de artes, e por volta da 1 hora deixou Eliane na casa dela e lá, trocou de carro e seguiu para a residência dele no veículo Volvo. Essa foi a versão dele de que não mais saiu de casa, dormiu e não esteve com Eliane.

Porém, o vídeo desmonta essa versão.

Agora, a polícia ainda reúne mais informações sobre o fim do relacionamento do casal e espera que nos próximos dias o laudo esclareça como Eliane Aparecida Nogueira, 39, foi assassinada.

Suspeitas

O delegado descarta que o ex-marido tenha premeditado o assassinato da mulher, com quem tentava reatar. Porém, mais um componente deverá ser esclarecido pela perícia. Eliane foi estrangulada e depois queimada. Porém, há suspeita de que ela teria sofrido uma tentativa de estupro e lutado contra a violência. Legistas não conseguiram encontrar no útero dela resquício de esperma, mas a suspeita não é descartada, segundo informações extraoficiais apuradas pelo jornal Midiamax.

Os peritos trabalham tanto na necropsia como também fazem os exames de DNA e a perícia do veículo, quase que totalmente carbonizado assim como foi encontrado o corpo da arquiteta.

O delegado responsável pelas investigações, Welington de Oliveira, acredita que Andrade matou Eliane. O motivo, ainda não estaria bem claro, mas conforme Oliveira, o ato não teria sido premeditado e o suspeito agido pelo ímpeto. “Nesse caso, tenho absoluta certeza de que a perícia é que vai auxiliar na elucidação”.

Conforme o delegado, “provavelmente” constará na certidão de óbito da arquiteta que a causa da morte foi “asfixia mecânica e fogo”, ou seja, ela teria sido esganada e após isso, queimada.


Caso Arquiteta: Suspeito principal na conveniência





O Vídeo


De 1 segundo a 7 segundos – Às 4h05, empresário chega à conveniência no carro da mulher às 4h05


De 8 segundos a 17 segundos – Empresário compra um maço de cigarro, chiclete e fósforo e, às 4h07, volta para o carro da ex-mulher em direção ao local onde seu corpo seria encontrado carbonizado momentos depois.


 De 17 segundos a 22 segundos – Empresário passa a pé na frente da conveniência 21 minutos depois de chegar à conveniência pela primeira vez



(Matéria atualizada às 13h56 para acréscimos de informações)

Jornal Midiamax