Geral

Temporais derrubam torres de energia na divisa de MS com SP

Temporais que caem desde o domingo sobre Mato Grosso do Sul e São Paulo já derrubaram 57 torres transmissoras de energia elétrica produzidas na divisa dos dois Estados. O prejuízo ainda não foi calculado. Com as quedas, a hidrelétrica de Jupiá, capaz de gerar energia para dois Mato Grosso do Sul, ficou praticamente inativa.  No domingo, nove torres […]

Arquivo Publicado em 28/09/2010, às 21h34

None

Temporais que caem desde o domingo sobre Mato Grosso do Sul e São Paulo já derrubaram 57 torres transmissoras de energia elétrica produzidas na divisa dos dois Estados. O prejuízo ainda não foi calculado. Com as quedas, a hidrelétrica de Jupiá, capaz de gerar energia para dois Mato Grosso do Sul, ficou praticamente inativa. 

No domingo, nove torres da Eletrosul caíram em Campo Grande.

Nesta terça-feira, quatro torres de linhas saídas de Porto Primavera, na divisa com São Paulo, foram danificadas após um forte vendaval que atravessou a região da cidade de Três Lagoas. Essas linhas trazem energia para cá a partir da região Sul do Estado.

As quatro torres pertencem a Plena Transmissora, que ainda não se manifestou sobre o acidente. Embora as quedas, o fornecimento da energia não foi comprometido.

Isto porque o sistema que conduz a energia é interligado e, com isso, o sistema é instantaneamente remanejado a uma outra linha alimentadora.

Já nas cidades de São Paulo que fazem divisa com Mato Grosso do Sul, o estrago foi maior. De ontem para hoje, caíram dez torres que seguem de Ilha Solteira (SP) para Andradina (SP).

Já da Hidrelétrica engenheiro Souza Dias, a conhecida Jupiá, instalada no entorno de Três Lagoas, tombaram 34 torres que emitiam energia dali para a cidade de Bauru, interior de São Paulo.


Material editado para acréscimo de informações


Jornal Midiamax