Geral

Roriz é condenado a pagar R$ 35 mil a Cristovam por danos morais

O ex-governador do Distrito Federal Joaquim Roriz (PSC) foi condenado pela Justiça a pagar R$ 35 mil de indenização por danos morais ao senador Cristovam Buarque (PDT). Em 2003, Roriz teria chamado o pedetista de assassino durante discurso em inauguração de obra no Itapoã, região administrativa carente do DF. Na ocasião, Roriz ainda teria afirmado […]

Arquivo Publicado em 26/01/2010, às 22h04

None

O ex-governador do Distrito Federal Joaquim Roriz (PSC) foi condenado pela Justiça a pagar R$ 35 mil de indenização por danos morais ao senador Cristovam Buarque (PDT).

Em 2003, Roriz teria chamado o pedetista de assassino durante discurso em inauguração de obra no Itapoã, região administrativa carente do DF.

Na ocasião, Roriz ainda teria afirmado que Cristovam –na época ministro da Educação e que também é ex-governador do DF– não gosta de pobres.

Como prova, Cristovam apresentou uma fita K-7 e um jornal da época com a manchete: “Roriz acusa Cristovam de matar 6”. Já em sua defesa, Roriz negou ter chamado o pedetista de assassino e disse que não podia ser responsabilizado por notícias de jornal. Argumentou, ainda, que fita apresentada pela acusação não era original.

Entretanto, a perícia confirmou a autenticidade da gravação e fez uma transcrição do discurso do ex-governador baseado na fita K-7 e em reportagem publicada na época.

De acordo com o TJDF (Tribunal de Justiça do Distrito Federal), Roriz teria dito: “o Governador é chefe da Polícia, e obrigou a Polícia a ir pra lá, e assassinou seis pessoas… seis pessoas foram assassinadas a mando do Governador anterior…”.

Antes de chegar ao julgamento, houve uma audiência de conciliação, mas sem acordo. Na sentença, o juiz considerou que os fatos atingiram a imagem de Cristovam, causando-lhe prejuízos e ofendendo-lhe a dignidade.

Cristovam pedia indenização de R$ 50 mil. Entretanto, o valor acabou reduzido para R$ 35 mil. Agora, Roriz tem prazo de 15 dias para pagar o valor, sob pena de multa.

Por meio de sua assessoria, Roriz disse que vai recorrer da decisão.

Jornal Midiamax