Geral

Pivô da operação Uragano pede licença do cargo

Justificativa anunciada é para tratamento de saúde; Passaia foi quem denunciou o esquema de cobrança de propinas que levou o ex-prefeito Ari Arthuzi e mais 28 pessoas para cadeia na última semana

Arquivo Publicado em 12/09/2010, às 22h03

None

Justificativa anunciada é para tratamento de saúde; Passaia foi quem denunciou o esquema de cobrança de propinas que levou o ex-prefeito Ari Arthuzi e mais 28 pessoas para cadeia na última semana

Um dia após receber denúncias no blog do jornalista Valfrido Silva, que no sábado deixou a campanha de André Puccinelli, o jornalista Eleandro Passaia, secretário de governo da prefeitura de Dourados, pediu afastamento temporário da secretaria de governo, cargo para o qual foi reconduzido pelo juiz-prefeito, há uma semana. A justificativa anunciada é para tratamento de saúde. Há informações de que talvez não retorne ao cargo.

Carlos Alberto Parnesi, delegado da polícia civil é quem assumirá o cargo e acumulará a função também como secretário de comunicação da prefeitura.

Passaia foi quem denunciou o esquema de cobrança de propinas que levou o ex-prefeito Ari Arthuzi e mais 28 pessoas para cadeia na última semana. O escândalo envolveu vereadores, secretários, servidores públicos e empresários da cidade.

Na última sexta-feira (10/9) ele lançou o livro “A máfia de paletó” contando – segundo a versão dele, como funcionava o ‘esquema’ de cobrança de propinas que rendia até R$ 500 mil mensais para Arthuzi.

O prometido livro causou surpresa em razão do autor ter publicado cinco páginas em branco, com o carimbo “censurado”, onde havia denúncias contra parlamentares, e ter deixado vazar na íntegra a versão online.

Jornal Midiamax