Geral

Pais correm atrás do menor preço na compra do material escolar

Livrarias da Capital estão lotadas e Midiamax foi às ruas e encontrou caderno de mesma marca e número de folhas pelo preço de R$ 5 e R$ 16

Arquivo Publicado em 26/01/2010, às 17h10

None

Livrarias da Capital estão lotadas e Midiamax foi às ruas e encontrou caderno de mesma marca e número de folhas pelo preço de R$ 5 e R$ 16

Com a vinda das aulas de fevereiro, as livrarias de Campo Grande já apresentam um grande movimento de pais que buscam os melhores preços. Preocupação essa que alguns pais demonstram ao realizarem uma pesquisa prévia ou que buscam uma livraria por uma indicação de algum conhecido, ou porque já compram em um mesmo lugar há muito tempo. Porém, o certo é que todos têm na cabeça a idéia de economizar.


Mas, a preparação antes de se fazer as compras é necessária, já que dispensando um pouco de tempo é possível economizar no bolso. Nas livrarias visitadas pelo Midiamax foi possível ver que um caderno pode ser encontrado por R$ 5,99 em um lugar, enquanto que em outra livraria o preço pode chegar a R$ 16.


As mochilas também apresentam variação já que podem custar até R$ 10 como R$ 200, depende do modelo procurado pelo cliente. Uma cola pode custar R$ 1,07 em uma livraria e em outra é vendida por R$ 1,19. Já uma caixa de Lápis de cor pode custar tanto R$ 3,99 como R$ 16, tudo depende da pesquisa realizada.


Economia


Segundo o proprietário de uma das livrarias do centro de Campo Grande, Jorge Fernandes, as pessoas estão mais preparadas para realizarem as compras. Além da pesquisa, Fernandes afirma também que as pessoas estão antecipando a data das compras dos materiais que, antigamente, ocorriam durante o mês de fevereiro.


“O pessoal está antecipando as compras, em dezembro já vieram algumas pessoas, já em janeiro o movimento está forte. Isso é bom, porque mostra que as pessoas já estão mais preparadas, há 3 anos, todo mundo vinha em fevereiro, isso era ruim para o cliente e para o vendedor, mas agora eles estão vindo antes e estão mais alertas também, prestam atenção nas pesquisas do Procon e também fazem suas próprias pesquisas”, afirma o proprietário.


Entre as pessoas que fizeram uma pesquisa prévia está Petrona Coronel, de 40 anos, que veio de Ribas do Rio Pardo somente para fazer as compras escolares da sua filha de 10 anos. Segundo ela, os preços da Capital estão mais em conta do que no interior. Segundo ela, um caderno de 200 folhas que em Campo Grande custa R$ 8, no interior, chega a custar o dobro.“Os preços aqui estão em conta, aqui é mais barato do que no interior. Eu fiz uma pesquisa antes de vir comprar”, afirma a mulher.


Outra pessoa que não veio despreparada para fazer as compras foi a fisioterapeuta Leise Rezende, de 29 anos, que antes de comprar o material escolar de sua filha de 8 anos. Para ela, os preços nas livrarias estão parecidos, porém mesmo assim a pesquisa prévia não foi dispensada.“Essa é a segunda livraria que estou indo, vejo que os preços estão parecidos, mas é preciso pesquisar para economizar, tem que ver certinho, estou pesquisando”, afirma a mulher.


A pesquisa não fez parte da rotina da funcionária pública Michele Andrade, de 31 anos, mas mesmo assim ela não veio despreparada, já que comprará o material escolar dos seus dois filhos em uma livraria que foi indicada por conhecidos.


O professor Arnaldo Grego, de 44 anos, também não fez pesquisa, mas nem por isso será pego de surpresa, já que sempre opta por fazer compras na mesma livraria que o atende há muito tempo. Sobre os preços, ele diz que estão razoáveis e que comprará hoje o material de suas duas filhas. “Eu não fiz pesquisa, mas venho aqui há muito tempo, sempre compro e sei que é bom pela experiência que tenho”, afirma o professor.

Jornal Midiamax