Geral

Nova Andradina: Saúde faz mutirão para combater doenças

A Secretaria Municipal de Saúde, através do Programa de Controle da Hanseníase e da Tuberculose, irá realizar o mutirão anual para o controle das referidas patologias, com início no dia 28 de setembro e término em 15 de outubro, contando com a participação das oito equipes multiprofissionais dos PSF’s de Nova Andradina. A mobilização tem […]

Arquivo Publicado em 20/09/2010, às 18h53

None

A Secretaria Municipal de Saúde, através do Programa de Controle da Hanseníase e da Tuberculose, irá realizar o mutirão anual para o controle das referidas patologias, com início no dia 28 de setembro e término em 15 de outubro, contando com a participação das oito equipes multiprofissionais dos PSF’s de Nova Andradina.


A mobilização tem como finalidade identificar casos de tuberculose e hanseníase na população de Nova Andradina, além de divulgar informações sobre as doenças.


Serão realizadas reuniões de trabalho, levantamento dos casos das doenças, visitas domiciliares e encaminhamentos dos casos notificados, além de ampla divulgação dos sintomas e tratamentos para combater a hanseníase e a tuberculose.


De acordo com a coordenadora do programa, a assistente social Jane Maia, em 2009, foram diagnosticados 15 casos novos de hanseníase, realizadas 47 avaliações, e 15 pessoas receberam alta por cura, já no caso da tuberculose, foram diagnosticados oito novos casos, mas são estimados 33 novos casos da doença, 10 altas por cura, e ainda foram realizadas 21 avaliações, e estimados 459 casos sintomáticos respiratórios.


O PROGRAMA – A Secretaria Municipal de Saúde de Nova Andradina desenvolve durante todo o ano os programas de diagnóstico e tratamento contra a hanseníase e tuberculose, gratuitamente para a população. O programa é desenvolvido no Centro de Especialidades Médicas (CEM), e nos oito Postos de Saúde da Família.


Hoje, são assistidos pelo programa 15 pessoas em tratamento de hanseníase e oito em tuberculose, sendo que os números de casos acompanhados não condizem com a realidade, de acordo com a coordenadora de Atenção Básica, Jane Maria Maia. “Devemos ter muitos casos não acompanhados na cidade. É preciso estar atento aos sintomas e procurar tratamento o mais rápido possível”, expõe Jane.


Para ser atendido pelo programa, basta que a pessoa seja acompanhada em qualquer PSF do município ou em Nova Casa Verde, caso seja detectada alguma das doenças, que são curáveis, mas é importante o diagnóstico precoce, para que a pessoa não tenha sequelas, de acordo com a assistente social Jane Maria Maia.


Os principais sintomas da hanseníase são: dor nos nervos dos braços e pernas, manchas brancas ou avermelhadas dormentes em qualquer parte do corpo, não sentir dor quando corta ou queima, caroços no corpo ou partes do corpo com formigamento ou dormência. Já a tuberculose, os sintomas são tosse e escarro por mais de quatro semanas, falta de apetite, emagrecimento, dores no peito, suores noturnos, cansaço fácil e febre baixa geralmente à tarde.


Sentindo qualquer destes sintomas, é preciso procurar atendimento médico urgente, pois o diagnóstico precoce pode ser decisivo na cura das doenças. Após os primeiros 15 dias de tratamento, a pessoa contaminada com hanseníase já não é mais transmissor da doença.


A equipe do Programa de Hanseníase e Tuberculose é composta por um médico, um terapeuta ocupacional, um fisioterapeuta, um psicólogo e uma enfermeira, que em conjunto com as equipes dos PSF’s trabalham no combate às doenças.

Jornal Midiamax