Geral

Na reta final, Murilo Zauith dispara 10% e entra na briga pela segunda vaga do Senado em MS

O candidato Murilo Zauith, que reclamou em vários momentos por ser preterido dentro da própria coligação, subiu de 19% para 29% e encostou nos adversários pela segunda vaga de senador considerando a margem de erros e os indecisos.

Arquivo Publicado em 25/09/2010, às 13h30

None

O candidato Murilo Zauith, que reclamou em vários momentos por ser preterido dentro da própria coligação, subiu de 19% para 29% e encostou nos adversários pela segunda vaga de senador considerando a margem de erros e os indecisos.

Na reta final da campanha, o vice-governador Murilo Zauith, candidato ao senado pela Coligação “Amor, Trabalho e Fé” foi a grande surpresa na pesquisa do Ibope divulgada na sexta-feira (24). Ele disparou 10 pontos percentuais desde o último levantamento, saltando de 19% para 29% das intenções de voto para o senado em MS.


O número de eleitores que se declararam indecisos caiu de 27% para 20%, e o de brancos e nulos aumentou de 7% para 8%. São percentuais capazes de mudar o cenário da segunda vaga, levando-se em conta que a margem de erro é de 3% para mais ou para menos.


A pesquisa ofereceu até duas opções para a manifestação da preferência em relação ao Senado, já que o eleitor deve escolher dois candidatos, mas apenas 90% dos entrevistados indicaram os dois votos.


Mesmo perdendo um ponto percentual, em primeiro lugar continua o senador Delcídio do Amaral (PT), da Coligação ‘A Força do Povo’, que passou de 64% para 63% das intenções de voto.


O deputado federal Dagoberto Nogueira (PDT), também da Coligação ‘A Força do Povo’, ampliou seu percentual de 35% para 37%, enquanto o deputado federal Waldemir Moka (PMDB), da ‘Coligação Amor, Trabalho e Fé’, passou de 30% para 32%.


A pesquisa foi realizada pelo Ibope a pedido da TV Morena com dados coletados entre os dias 21 e 23 de setembro. Foram ouvidas 812 pessoas em Campo Grande e em municípios das regiões Sudoeste, Leste, Centro-Norte, Norte e do Pantanal. O levantamento foi registrado no TSE com o número 31.787/2010 e no TRE/MS com o protocolo 40.152/2010.

Jornal Midiamax