Geral

Mizael diz que é perseguido e só sai de casa com colete

Suspeito de ser o principal suspeito da morte da advogada Mércia Nakashima, Mizael Bispo de Souza afirmou na tarde desta sexta-feira (16) estar sendo perseguido e que, por isso, decidiu usar um colete à prova de balas, que ele guarda desde os tempos em que trabalhava na polícia. Na semana passada, quatro homens foram à […]

Arquivo Publicado em 16/07/2010, às 20h45

None

Suspeito de ser o principal suspeito da morte da advogada Mércia Nakashima, Mizael Bispo de Souza afirmou na tarde desta sexta-feira (16) estar sendo perseguido e que, por isso, decidiu usar um colete à prova de balas, que ele guarda desde os tempos em que trabalhava na polícia.

Na semana passada, quatro homens foram à casa da cunhada dele e perguntaram pelo advogado, de acordo com o ex-namorado de Mércia Nakashima. Seus parentes responderam que ele tinha ido trabalhar. Então, segundo ele, homens afirmaram: “Fala para ele trabalhar menos porque ele vai morrer logo”.

Depois desse incidente, ele disse ter começado a usar o colete. “Eu já percebi carros me seguindo. Eu temo pela minha vida. Estou apenas tentando defender pelo menos o meu corpo”, disse.

Durante entrevista nesta tarde, ele disse já ter comunicado à polícia. “Mas eles não dão importância.”

Entrevista

O advogado de Mizael Bispo, Ivon Ribeiro, afirmou que a polícia, sem mandado de prisão, invadiu as casas da ex-mulher e da irmã do seu cliente depois da prisão temporária ter sido decretada pela Justiça.

“A PM sem mandado invadiu a casa da irmã de Mizael duas vezes: uma por volta das 8h30 e outra por volta da 0h. Eu vou pedir que se investigue também a invasão da casa da ex-mulher dele com escopeta na mão”, disse Ivon Ribeiro.

Durante a entrevista, realizada em Guarulhos, na Grande São Paulo, Mizael afirmou que o rastreador de seu carro pode estar com problemas. O rastreador indica o local onde Mizael e Mércia foram vistos pela última vez, no dia do desaparecimento da advogada, no dia 23 de maio.

Mizael disse ainda que nunca foi à represa de Nazaré Paulista, onde o carro e o corpo de Mércia Nakashima foram encontrados.

Além do advogado Ivon Ribeiro, também estava presente à entrevista o advogado Samir Haddad, que ressaltou que Mizael vai continuar à disposição da polícia.

Mizael disse ainda que sentiu medo quando viu a sua prisão decretada e voltou a afirmar que jamais saiu de Guarulhos. “Eu não estava foragido, eu estava omisso.”

Ele descartou que o vigia do posto de gasolina Evandro Bezerra da Silva, preso em Sergipe sob suspeita de participação no crime, seja seu amigo. “Ele nunca foi meu amigo”, disse.

A advogada Mércia Nakashima desapareceu em 23 de maio. O seu carro foi encontrado submerso em uma represa em Nazaré Paulista, no dia 10 de junho. O corpo dela foi encontrado no dia seguinte no mesmo local. De acordo com a polícia, ela foi agredida e baleada, desmaiou e morreu afogada.

Procurada pelo G1, a Polícia Militar ainda não se manifestou sobre as declarações de Mizael e do advogado.

Jornal Midiamax