Geral

Mato Grosso do Sul é principal origem de drogas na “Rota Caipira do Tráfico”

Diversas apreensões de drogas realizadas em outros estados colocam Mato Grosso do Sul como rota por onde o entorpecente passa sem problemas. Na última semana foram mais de 3 toneladas de maconha e quase mil quilos de cocaína apreendidos a partir de MS.

Arquivo Publicado em 24/10/2010, às 14h44

None

Diversas apreensões de drogas realizadas em outros estados colocam Mato Grosso do Sul como rota por onde o entorpecente passa sem problemas. Na última semana foram mais de 3 toneladas de maconha e quase mil quilos de cocaína apreendidos a partir de MS.

Mato Grosso do Sul foi destaque na última semana porque diversas apreensões de drogas realizadas em outros estados colocam MS como rota por onde o entorpecente teria passado sem problemas. Na sexta (22), policiais de Ibiúna (SP) apreenderam uma carga de 650 quilos de cocaína que partiu da Bolívia e atravessou o território sul-mato-grossense em um caminhão carregado com açúcar.


No mesmo dia, em Ribeirão Preto (SP), a Polícia Federal incinerou 740 kg de drogas, sendo 580 kg de maconha e 160 kg de cocaína. O entorpecente é fruto de dez apreensões realizadas no último ano e todas tiveram, segundo a PF, origem em Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Rondônia.


Já em Sorocaba, a 99 km de São Paulo, a PF apreendeu três toneladas de maconha na segunda-feira (18). A droga estava disfarçada dentro de toras de madeira transportadas por um caminhão que também seguia de Mato Grosso do Sul e seria levada para o Paraná.


Ninguém notou


De acordo com a Polícia Federal, o caminhão foi abordado porque apresentava uma diferença entre o peso da carga transportada e o valor indicado na nota fiscal. Mesmo assim, ele já havia passado por inúmeros postos de fiscalização dentro de Mato Grosso do Sul para “cair” apenas em São Paulo.


E o alcance da droga que passa por MS chega ao litoral. Ainda na segunda da semana passada, em Santos, após um caminhão atolar na Favela da Alemoa, cerca de 15 kg de maconha foram encontrados pela Polícia Militar paulista escondidos em um caminhão carregado com 38 toneladas de açúcar. O motorista Luiz Fernando Norberto Maia, de 22 anos, foi preso e contou aos policiais que havia levado 300 quilos da droga desde Dourados (MS), onde mora, por R$ 20 mil.


Luiz Fernando, inclusive, esteve envolvido em uma ocorrência com entorpecentes na cidade de Dourados há cerca de um mês. Na época, a irmã dele o denunciou à PM por ter trocado roupas dela por crack, mas o rapaz não chegou a ficar preso.


Agora, preso pela polícia paulista, ele ainda entregou dois comparsas que seriam os donos do entorpecente e estariam em um gol vinho com placas de Dourados. A PM santista localizou o veículo e prendeu Jony Rogers de Oliveira, de 48 anos, e James Douglas Medeiros de Oliveira, de 44, também autuados por tráfico. O trio de sul-mato-grossenses foi removido à cadeia do 1º DP de Guarujá.


Rota Caipira começa em MS


A Rota Caipira do Tráfico, chamada assim porque usa trechos de pequenas cidades no oeste de São Paulo, abastece não só as grandes cidades do interior paulista como também Minas Gerais, norte do Paraná e até sul da Bahia. Invariavelmente o Mato Grosso do Sul é a origem das cargas interceptadas na região de drogas que entram no Brasil a partir da Bolívia ou do Paraguai.


Segundo o delegado Lindinalvo Alexandrino de Almeida Filho, da Polícia Federal de Ribeirão Preto, 20 pessoas foram presas nas operações do último ano. A PF do município, no centro da chamada “Rota Caipira do Tráfico” é a terceira unidade do país em apreensão de cocaína. Desde janeiro, foram apreendidos 952 kg da droga. No ranking de apreensões de maconha, com 944 kg apreendidos, a unidade é a décima.


Na apreensão de sexta-feira, a polícia de Ibiúna chegou à droga após quatro meses de uma investigação que começou na Favela do Areião, em São Bernardo, região do Grande ABC. O entorpecente estava em um sítio no município e cinco pessoas foram presas no local. Uma delas, Gilmar Flores, 42 anos, morador de Mato Grosso do Sul, é apontado como o responsável pela importação do entorpecente.


Mohamed Ali Chaber, que seria o “batedor” dos traficantes, seguia à frente do comboio para avisar sobre eventuais bloqueios policiais no caminho e também foi detido. Todos foram levados à Denarc (Departamento de Investigações sobre Narcóticos da Polícia Civil de São Paulo) e foram indiciados por tráfico de drogas e formação de quadrilha.


Por terra e ar


A região oeste de São Paulo, que possui grandes canaviais, passou a ser utilizada também por traficantes transportando drogas em pequenos aviões. Eles fazem pousos clandestinos no meio da cana-de-áçucar e MS, novamente, é apontado como principal origem do entorpecente.


“Achamos sacolas de um shopping paraguaio. Ele passou por Ponta Porã (MS) e veio cair aqui”, contou o delegado Hugo Anselmo Avagnani, da DIG (Delegacia de Investigações Gerais) de São Joaquim da Barra, após uma apreensão realizada num monomotor ainda em janeiro deste ano no pequeno município paulista.

Jornal Midiamax