Geral

Lewandowsk sugere que caso de Dagoberto não é para cassação

Sem mencionar nomes ou casos específicos, o presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) ministro Enrique Ricardo Lewandowsk sugeriu que o registro da candidatura do deputado federal, Dagoberto Nogueira (PDT) ao Senado, pode ser mantido pelo Tribunal. Dagoberto que enfrentou pedido de cassação de registro no TRE-MS movido pelos deputados Ary Rigo e Onevan de Matos, […]

Arquivo Publicado em 13/09/2010, às 14h18

None

Sem mencionar nomes ou casos específicos, o presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) ministro Enrique Ricardo Lewandowsk sugeriu que o registro da candidatura do deputado federal, Dagoberto Nogueira (PDT) ao Senado, pode ser mantido pelo Tribunal.


Dagoberto que enfrentou pedido de cassação de registro no TRE-MS movido pelos deputados Ary Rigo e Onevan de Matos, ambos do PSDB, conseguiu manter sua candidatura, mas os parlamentares recorreram ao TSE.


A decisão da Justiça local foi unânime a favor de Dagoberto. Mas Rigo e Onevan insistem na alegação de que Dagoberto é ficha suja. Ele tem condenações por improbidade administrativa no período em que foi secretário de Justiça e Segurança Pública. Porém, a Justiça o penalizou apenas com multa e não pede sua inelegibilidade.


“Cada caso é um caso. As situações são individualizadas. Mas, se for apenas uma multa sem decretação de inelegibilidade é possível que esta cassação seja afastada”, respondeu ao ser questionado sobre a situação durante entrevista coletiva nesta manhã no TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral).


O julgamento do recurso contra Dagoberto é aguardado para as próximas sessões do TSE. A pauta desta semana ainda não está disponível no site do órgão.

Jornal Midiamax